Blog do Adilson Ribeiro

Serra- ES – Terça-feira -22:00 – Sob a mira de arma, menores são obrigados a fazer sexo

Delegado acredita que crime tem relação com o tráfico de drogas e que é o primeiro caso envolvendo estupro em disputas de gangues rivais

Dois vídeos que mostram adolescentes sofrendo torturas e abuso sexual sob a mira de uma arma circula pelas redes sociais desde o início desta terça-feira (1). As imagens foram gravadas em um bairro na Serra e indicam que se trata de um “acerto de contas” de um grupo de traficantes do bairro contra supostos integrantes de um grupo rival que estaria agindo na região.

No primeiro vídeo, três garotos são obrigados a tirar a roupa e a praticar atos sexuais entre si, sob risadas dos agressores. Uma das vítimas aparenta ser uma criança de cerca de 12 anos. Os outros dois, aparentemente, são adolescentes.

Em um dos trechos, o criminoso armado ordena: “Tira a roupa, desgraça. Eu quero todo mundo pelado. Vocês não gostam de vender droga na minha boca? Esse bairro é de quem? Quero ver vocês falarem que é o (nome do gangue), fala! Quem é que manda? Tira a roupa. Ou quer tomar um tiro na cara?”.

Após tirarem as roupas e serem obrigados a praticar atos sexuais entre si, um segundo vídeo mostra os três meninos, ainda nus, deitados no chão sendo obrigados a comer barro.

Durante a filmagem, os criminosos perguntam a todo momento para quem os garotos estavam vendendo drogas. Os menores contam que não vendem mais, mas são ameaçados caso não citem um nome. Um deles chega a levar uma coronhada na cabeça tão forte que resulta em um corte e fica sangrando no chão. Os bandidos ainda exigem que os garotos não olhem para eles.

Procurado pela reportagem, o delegado Lorenzo Pazolini, titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), contou que tomou conhecimento do crime no fim da tarde desta terça-feira (01). Ele disse que irá investigar o caso e que o primeiro passo é tentar identificar as vítimas.

“Pedimos que familiares das vítimas procurem a delegacia o quanto antes. Se possível, nesta quarta-feira (2). Mas mesmo que não nos procurem nós iremos fazer essa busca para ouvirmos os garotos. Vi o vídeo e percebi que pelo menos um, com certeza, é uma criança. Pela narrativa dos áudios dos vídeos, parece um contexto de disputa pelo tráfico”, disse.

O delegado completou que já recebeu casos de menores torturados pelo tráfico, seja com agressões físicas ou emocional, como em casos onde menores tiveram seus cabelos raspados, por exemplo. Mas Pazolini afirma que é o primeiro caso de estupro praticado pelo tráfico no Espírito Santo que ele tem conhecimento.

Pazolini alertou também que armazenar e compartilhar o vídeo com os abusos sexuais sofridos pelos menores também é considerado crime de pedofilia. Ele lembrou que além de crime, a exposição pode causar sequelas emocionas ainda maiores às vítimas. “Quem realmente quer ajudar, procura a polícia e faz a denúncia. Agora, a polícia já tem conhecimento do caso e o apelo que faço é que não divulguem as imagens”.

DIREITOS HUMANOS REPUDIA VÍDEO

Segundo Gilmar Ferreira, presidente do Comitê Estadual de Prevenção e Erradicação da Tortura da Secretaria de Direitos Humanos do Estado, o caso trata-se de um “ato de extrema covardia e tortura e as autoridades precisam agir e responsabilizar os culpados”.

“Tortura é crime inafiançável, imprescritível, hediondo e contra a humanidade. Agravado ainda mais se for contra adolescente. Nesse caso há outros crimes, como abuso sexual por exemplo”, afirmou.

Ele disse ainda que espera que os órgãos do Estado ajam para apurar com rigor os fatos e responsabilizar os culpados.

Fonte: Gazeta online / foto meramente ilustrativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *