Date – 1 outubro, 2017

Domingo – 19:35 – “Muita gente pede intervenção militar”, diz coronel do Exército

O porta-voz do Clube Militar, Coronel Ivan Cosme, avalia que os pedidos por uma intervenção são fruto da desesperança com a política

Com a crise política, a economia em um dos piores momentos de sua história e escândalos semanais de corrupção, muitos brasileiros estão se perguntando: chegou a hora de uma intervenção militar?

A última ditadura militar registrada no Brasil ocorreu entre 1964 e 1985. No período, foram cassados mandatos de políticos, jornais foram censurados e opositores foram presos, torturados e assassinados.

Ainda assim, o fantasma da intervenção militar volta para assombrar a sociedade brasileira vez ou outra.

A mais recente aparição do assunto ocorreu quando o ministro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) Og Fernandes perguntou em seu Twitterse os brasileiros querem uma intervenção militar. Após mais de 37 mil votos, o “não” venceu com 51%.

O porta-voz do Clube Militar, Coronel Ivan Cosme, avalia que os pedidos por uma intervenção são fruto da desesperança com a política.

“A questão da intervenção militar, que muita gente está pedindo, talvez seja até em função de uma desesperança que está se abatendo sobre o povo em função do que a gente vê nos nossos meios políticos.”

Ivan Cosme ressalta que, em sua opinião particular, a intervenção não é o melhor caminho. “Não é que a intervenção não vai resolver. Até porque muitas pessoas estão se esquecendo que no mundo atual, globalizado, a intervenção leva ao isolamento da comunidade internacional”.

O Clube Militar é uma associação civil que reúne membros do Exército, Marinha e Aeronáutica. Com sede no Rio de Janeiro, a entidade costuma realizar eventos no aniversário da ditadura.

O general do Exército Antônio Hamilton Martins Mourão, que defendeu uma intervenção militar para combater a crise enfrentada pelo Brasil, afirmou ao jornal Estado de S. Paulo que pretende presidir o Clube Militar.

1964

Apesar da crise política enfrentada pelo Brasil, o cenário atual é diferente de quando ocorreu o golpe militar, em 1964, avalia a professora de ciência política da Fundação Getulio Vargas (FGV-RJ) Sônia Fleury.

“Ainda não temos esse cenário pela frente. Não há uma deterioração tão grande do país, da economia, e das próprias relações entre as forças sociais para justificar um golpe.”

Ela ressalta que o momento da geopolítica mundial alterou-se bastante e que não há uma tensão social entre esquerda e direita como na década de 1960. Também não há mais a guerra fria e seu “incentivo para combater tudo que parecesse comunismo, sendo ou não”.

“A elite está confortavelmente instalada no Governo, Congresso, Legislativo e Judiciário”, afirmou a professora da FGV.

..

 

 

Fonte: Sputnik Brasil.

Itaperuna – AUTO ESCOLA JOIA, a que mais aprova, apresenta os aprovados dos mês de SETEMBRO !Itaperuna (22) 9-9890-3131 / Miracema 3852-0467

Rio de Janeiro – Domingo – 18:50 – Idoso é preso após esfregar partes íntimas em adolescente dentro de museu

O acusado foi levado para a 4ª DP (Praça da República), mas responder em liberdade por importunação ofensiva ao pudor

Rio – Um idoso, de 63 anos, foi levado para a delegacia após ser flagrado esfregando as suas partes íntimas em uma adolescente de 14 anos dentro do Museu do Amanhã, no Centro do Rio, nesta sexta-feira. Segundo as informações, o acusado foi visto por uma professora, que acompanhava uma excursão escolar no museu, abusando de uma de suas alunas, de 14 anos. O homem chegou a agarrar a menina por trás para se esfregar na jovem. O caso foi registrado na 4ª DP (Praça da República) como importunação ofensiva ao pudor e encaminhado para o Juizado Especial Criminal (Jecrim). A vítima, o acusado e testemunhas foram ouvidas na unidade policial. O idoso foi liberado e vai responder em liberdade. Ele já possui duas passagens pelo mesmo crime.

..

 

Fonte: O Dia / imagem ilustrativa

Domingo 18:12 – Butantan inicia fabricação de 60 milhões de vacinas contra gripe para 2018

O Instituto Butantan iniciou nesta semana a fabricação das 60 milhões de doses de vacina contra a gripe que serão usadas na campanha do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde em 2018. Com investimento de R$ 5 milhões, o instituto irá fornecer 15 milhões de doses a mais do que no ano passado.

O início da produção neste ano está ocorrendo concomitante à divulgação das cepas do vírus que estão mais circulantes, feita anualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS). “Esse investimento possibilitou aumentar a produção, garantindo segurança e agilidade nos processos produtivos e, posteriormente, na entrega das doses ao Ministério da Saúde”, disse o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Em 2016, em 10 meses, o instituto conseguiu produzir 45 milhões de doses. Já em 2017, serão 60 milhões de doses em oito meses de produção. Segundo o Butantan, será necessário o trabalho de 500 funcionários, de setembro até maio de 2018, para a produção de todas as doses.

Como é feita a vacina

O processo utilizará 60 milhões de ovos de galinha fecundados, necessários para o cultivo dos vírus usados na vacina. No interior dos ovos embrionados, com 10 a 11 dias, é injetado o inóculo viral do vírus H1N1 e das outras duas cepas da gripe incluídas na vacina: H3N2 e B. Os ovos ficam em período de incubação, quando o vírus injetado se replica no líquido alantoico, que envolve o pintinho.

De acordo com o Butantan, após 60 a 72 horas de incubação, o líquido é retirado do ovo e purificado, para que apenas os vírus sejam extraídos. Em seguida, é feita a inativação e fragmentação do vírus.

Cada ovo rende, em média, o equivalente a três doses de um dos vírus. Como a vacina protege contra três tipos de variantes, são necessários 60 milhões de ovos para produzir as 60 milhões de doses da vacina influenza trivalente, fornecida para o Ministério da Saúde. Na última campanha de vacinação contra a gripe, 46 milhões de brasileiros foram imunizados em todo o país. O público-alvo da campanha era de 54,2 milhões de pessoas.

Prevenção

A transmissão dos vírus influenza ocorre por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas da boca, olhos, e nariz.

O Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal e evitar locais com aglomeração de pessoas.

Os sintomas da gripe são febre, tosse ou dor na garganta, dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. O agravamento da doença pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, problemas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Fonte: EBC

Domingo 16:22 – Fúria Jovem é proibida de acompanhar jogos do Botafogo

A Justiça do Rio de Janeiro proibiu a torcida organizada Fúria Jovem, do Botafogo, de comparecer a eventos esportivos pelo prazo de três anos.

A decisão vale para todos os membros da torcida e foi tomada a pedido do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. De acordo com o órgão, a punição foi motivada pelas brigas provocadas pela Fúria Jovem, nos dias 9 de julho e 16 de agosto.

No caso mais recente, cerca de 300 integrantes da torcida botafoguense prepararam uma emboscada para torcedores do Flamengo que desembarcavam na estação de trem de Madureira, após o jogo entre as duas equipes.

Houve briga generalizada e os integrantes da Fúria Jovem realizaram disparos de arma de fogo, além de atacarem policiais. Na ocasião, 49 integrantes da organizada botafoguense foram presos.

Já o caso do dia 9 de julho ocorreu antes da partida entre o Botafogo e Atlético-MG./// Torcedores da Fúria Jovem e os mineiros da Galoucura se envolveram em uma briga generalizada./// Neste confronto foram detidos dez torcedores, sendo sete integrantes da torcida organizada do Botafogo e os outros três da Galoucura.

Fonte: EBC

Foto: Organizadas Brasil

Domingo – 12:35 -DEPUTADO CAPIXABA SÉRGIO VIDIGAL SOFRE ACIDENTE NA DIVISA DE MG COM ES

O Deputado Federal Sérgio Vidigal (PDT) sofreu um acidente na manhã de hoje (1) quando dirigia rumo a Brasília. A colisão aconteceu na BR 262, km 28, próximo a cidade de Reduto, divisa entre Minas Gerais e Espírito Santo.
Segundo informações da prefeita de Guaçuí Vera Costa, que é do mesmo partido político do deputado, Vidigal perdeu o controle de seu Corolla devido a pista molhada e colidiu com uma árvore.
O deputado ficou preso às ferragens. Ele estava dirigindo o automóvel no momento da batida. Vidigal foi levado pelo socorro e está sendo examinado no Hospital Cesar Leite em Manhuaçu.
Fonte: Aqui Notícias
.2017 © Todos os Direitos Reservados.