Blog do Adilson Ribeiro

Terça-feira 18:00 – Lula segue liderando em pesquisa eleitoral; sem petista, Bolsonaro e Marina disputariam 2.º turno

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

Nova pesquisa realizada pela CNT/MDA divulgada na manhã desta terça-feira, 7, mostrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue liderando as intenções de voto, mesmo com a possibilidade de ser impedido pela Justiça Eleitoral de disputar as eleições presidenciais por ter sido condenado em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá. Nesta terça-feira, o STJ julga pedido de Lula para evitar possível prisão do petista.

Na pesquisa estimulada, o petista lidera o cenário com 33,4%, seguido do deputado  Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que marcou 16,8%, e Marina Silva, com 7,8%. O tucano Geraldo Alckmin teria 6,4% no cenário com Lula na disputa, seguido de Ciro Gomes (PDT), com 4,3%. Já os senadores Álvaro Dias (Podemos-PR) e Fernando Collor (PTC-AL) marcariam 3,3% e 1,2%, respectivamente. A pesquisa ainda aponta o presidente Michel Temer com 0,9% das intenções de voto, seguido de Manuela D´Ávila (PCdoB), com 0,7%, e Rodrigo Maia (DEM-RJ) com 0,6%. O nome do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), não foi incluído na pesquisa.

Sem Lula, Bolsonaro lidera todos os cenários pesquisados para o primeiro turno. O deputado aparece na pesquisa com uma média de 20% das intenções de votos em três situações, onde o PT substitui Lula pela candidatura do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que aparece com, no máximo, 2,4% das intenções de voto. Marina Silva é a que mais se aproxima de Bolsonaro em uma eleição sem Lula, chegando a 13,9% das intenções de voto. Sem Lula, Alckmin aparece com 8,7%. Já Ciro fica com 8,1%; Temer, 1,3%; e Maia varia entre 0,8% a 1,4%.

Em 14 cenários avaliados pela pesquisa CNT/MDA, Lula teria 44,5% das intenções de voto se disputasse o segundo turno contra o tucano Geraldo Alckmin, que teria 22,5%. Com Bolsonaro, Lula atingiria 44,1% das intenções de voto e o deputado chegaria a 25,8%. Se tiver na disputa, Lula é o que tem mais chances de vitória contra qualquer outro candidato.

Sem Lula, Bolsonaro aparece praticamente empatado com todos os seus adversários. O deputado teria 26,7% contra 24,3% de Alckmin, por exemplo. Com Marina Silva (Rede), Bolsonaro teria 27,7% e a ex-senadora, 26,6%. Já contra o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o parlamentar teria mais chances ainda: 32,2% contra 9,4%.

Na pesquisa espontânea, onde não é informado ao entrevistados as opções de escolha, Lula aparece num cenário de primeiro turno com 18,6% das intenções de voto e Bolsonaro com 12,3%. Ciro Gomes (PDT) aparece com 1,7% e Alckmin com 1,4%. Segundo o levantamento, 20,4% disseram que votariam em branco e 39,7% aparecem como indecisos.

REJEIÇÃO

Sete pré-candidatos à Presidência aparecem com altos índices de rejeição – Lula é o mais popular entre os presidenciáveis. Temer não receberia o voto “de jeito nenhum” de 88% dos entrevistados. Maia não teria o voto de 55,8% dos eleitores, seguido de Marina (53,9%), Alckmin (50,7%), Bolsonaro (50,4%), Ciro (47,8%) e Lula (46,7%).

Embora Lula tenha a menor rejeição entre sete possíveis adversários na disputa, 52,1% dos entrevistados concordaram com a condenação do petista em segunda instância, contra 37,6% que disseram que ele deveria ter sido inocentado. Para 52,5%, o petista não deveria disputar as eleições e 43,3% acreditam que ele deveria ser autorizado pela Justiça Eleitoral a participar do pleito de outubro.

Caso Lula seja impedido de disputar, 54,2% dos entrevistados disseram que não votariam em alguém indicado por ele. Segundo o levantamento, 26,4% disseram que dependendo do indicado, poderiam votar e 16,4% votariam em qualquer candidato indicado pelo petista.

A pesquisa CNT/MDA ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Estados, das cinco regiões do País. A pesquisa foi feita entre 28 de fevereiro a 3 de março. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

Fonte: Estadão

2 comentários sobre “Terça-feira 18:00 – Lula segue liderando em pesquisa eleitoral; sem petista, Bolsonaro e Marina disputariam 2.º turno

  1. Mouraci Stephen Carecho

    HÁ UM LARGO ESPECTRO DE OPÇÕES…para se manter no poder.

    A intervenção militar no RJ sem dúvidas é uma estratégia política e em nada se relaciona com a segurança dos cidadãos cariocas.
    Em política cada um cuida da sua pele e vale o ditado “o inimigo de hoje é o amigo de amanhã” e vice-versa.
    A patota do Temer ( leia-se aqueles que estão cuidando de se livrarem da lava jato) não sem interesses escusos aprovaram em massa a intervenção. Isso porque essa é uma situação que abre espaço para que seja declarada a prorrogação de seus mandatos, por mais 2 anos, sem necessidade de eleição.
    A opção está em aberto e bem viva. Logo, caso as pesquisas continuem apontando índices contrários a essa patota toda, sem sombra de dúvidas que lançarão mão do tal recurso para permanecerem nos cargos. Tem muita gente por lá que necessita de pelo menos mais 2 anos de mandato para garantir prerrogativas escusas e não pode correr o risco de derrota as urnas.
    Se tal acontecer, inúteis serão os esforços daqueles que estão fazendo malabarismos na gestão municipal com o intuito de garantir din din para bancar eleição de novatos, pois que talvez nem haverá o pleito.

  2. Sandro

    Como pode um cidadao chefe de quadrilha bandido condenado , levou o pais junto com sua corja ao maior esquema de corrupcao da Historia do pais noticiado no mundo todo e tem eleitores a favor disso. Eta Brasil!!! Vai continuar na merda com essa cultura que a maioria dos eleitores tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *