Blog do Adilson Ribeiro

Quarta feira Manhuaçu 21:13 – Corpo é encontrado queimado dentro de lavoura. Clique na imagem abaixo e saiba mais informações…

Lavradores encontraram o corpo de uma mulher em uma lavoura na região do bairro Ponte da Aldeia, na tarde desta terça-feira, 10/04. A suspeita é que seja Adriana de Oliveira Mota, que está desaparecida.

A Polícia Militar foi acionada pelos lavradores. Ao chegar ao local, a equipe fez alguns levantamentos sobre desaparecidos. A perícia da Polícia Civil fez o trabalho técnico e acionou a funerária para a remoção do corpo para o Instituto Médico Legal (IML). “O corpo de mulher foi encontrado por um lavrador na região próxima a Vila Cachoeirinha. Ele estava fazendo a pulverização da lavoura e encontrou o corpo queimado no meio da plantação de café”, detalha o Tenente Luís Hott, da Polícia Militar de Manhuaçu.

Familiares de Adriana estiveram no local e reconheceram parte da roupa e uma pulseira que estava no corpo da mulher.

“A sobrinha da vítima desaparecida foi ao local e reconheceu a pulseira e o sutiã. Além de dar a entender que o corpo foi queimado, devido ao avançado estado de decomposição, era difícil a identificação. A prima foi ao local e identificou esses materiais como sendo da Adriana”, explica o oficial.

Somente após exame de DNA poderá comprovar se realmente se trata do corpo de Adriana.

A Polícia Militar segue em rastreamento para mais informações sobre autoria e motivação.

Familiares e amigos de Adriana de Oliveira Mota, 43 anos, estão à procura dela desde o dia 24 de março, quando foi vista pela última vez.

Mãe de quatro filhos e moradora do bairro Nossa Senhora Aparecida, no dia do seu desaparecimento, Adriana saiu do trabalho, em supermercado no centro de Manhuaçu passou em casa e disse que ia para a casa do namorado na Vila Boa Esperança, posteriormente uma colega de trabalho, a viu no ponto de ônibus da BR 262, por volta das 17 horas, e desde então não foi mais vista.

O namorado de Adriana afirma que não a matou, contudo, a Polícia Militar registrou que o corpo estava numa região acima de onde ele mora, cerca de 400 metros da residência. “O que chamou a atenção é que o homem trabalha na mesma região, num ponto que avistava o local onde o corpo foi deixado. Tão logo ele viu a movimentação de viaturas, falou para o encarregado da turma que precisava sair, pegou uma carona e foi embora. A nossa equipe conseguiu localizá-lo em Realeza”, pontua.

Aos policiais, ele disse que foi para a casa da irmã temeroso com a reação de familiares de Adriana. No entanto, no horário, a PM ainda não havia comunicado a família.

Foram recolhidas roupas, luvas, frasco de álcool e outros materiais do suspeito para verificação. Todo material foi encaminhado para a Polícia Civil. “O indivíduo é somente suspeito do fato e pode ter outras pessoas . Ele alega que usou grande quantidade de droga no dia e contou versões diferentes, dando a entender que estava sob efeito de entorpecentes durante o dia do desaparecimento. Disse que não lembra o que aconteceu, que roupas vestia e nem como chegou em casa. Estamos pedindo a colaboração de pessoas que possam ter visto alguma coisa para que façam denúncia”.

Fonte: Portal Caparaó

 

05/04/2018
Familiares procuram mulher desaparecida

Desaparecida desde 24/03/18

 

Familiares e amigos de Adriana de Oliveira Mota, 43 anos estão à sua procura desde o dia 24 de março, quando foi vista pela última vez.

Mãe de quatro filhos e moradora do bairro Nossa Senhora Aparecida, no dia do seu desaparecimento, Adriana saiu do trabalho, em supermercado no centro de Manhuaçu passou em casa e disse que ia para a casa do namorado na Vila Boa Esperança, posteriormente uma colega de trabalho, a viu no ponto de ônibus da BR 262, por volta das 17 horas, do dia 24 do mês passado e desde então ela não foi mais vista.

De acordo com informações de familiares, Adriana não apresentava nenhuma alteração comportamental, nenhum distúrbio ou ameaças. “Minha tia é uma pessoa muito tranquila e nunca saiu assim sem ao menos dizer onde ia, como realmente fez no dia que sumiu. Nós tivemos na casa do namorado dela e mãe dele nos disse que ela havia saído de lá, no fim da tarde, horário que ela foi vista no ponto de ônibus”, disse Josiane Feiras, sobrinha de Adriana.

Ainda de acordo com ela, a tia é morena, magra, baixa, possui cabelos encaracolados e olhos pretos. “No dia ela trajava calça Jeans e blusa vermelha e estava com uma bolsinha de lado”, completa.

Adriana é mãe de 04 filhos, o caçula tem 15 anos. “Minha vó tem 86 anos é cega não pode fazer nada e está desesperada sem notícias do paradeiro da minha tia. Então pedimos encarecidamente que se alguém tiver alguma informação que nos avise, que avise a polícia, o nosso telefone é 33 984141669, fala comigo, Josiane ou 98455 9700″, finaliza.
Fonte: Portal Caparaó

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *