Blog do Adilson Ribeiro

Sexta-feira – 23:15 – Câncer: mulher com nove nódulos no cérebro realiza sonho de se casar. Click na foto e veja a matéria completa:

Psicanalista Daniele Vanessa, de 42 anos, vai se casar neste sábado (12). Daminhas serão amigas adultas que enfrentam o câncer

Esperança, amor e fé: a história da psicanalista Daniele Vanessa, de 42 anos, se destaca entre tantas outras histórias de noivas que se preparam para realizar o sonho de casar.

A psicanalista, que mora em Vitória, luta contra o câncer há seis anos, quando retirou o estômago por causa de um tumor. A doença se espalhou para o cérebro, onde ela tem agora nove nódulos.

Em meio ao tratamento agressivo contra o câncer, ela sobe ao altar neste sábado (12) para celebrar a união com o industriário Márcio Rodrigues. Isso, às vésperas de fazer uma cirurgia – programada para a próxima quarta-feira (16), o que fez com ela adiasse a lua-de-mel.

A festa foi toda paga por amigos do casal. Cada um vai dar alguma coisa: a bebida, a decoração e o local da cerimônia, em um sítio de Vila Velha. Gente que se comoveu com a história de amor, que teve início quando ela já se tratava contra a doença.

“Como psicanalista, eu falo isso: o índice de pessoas que abandonam o parceiro quando o outro está vivendo o câncer, é muito alto. Ele foi o contrário, ele veio por causa do câncer. Eu escutei de amigos dele: ‘ele é louco, uma mulher com câncer, vai se meter em um namoro desses?'”, disse.

Na entrada da cerimônia religiosa, as daminhas de honra não serão crianças, mas amigas de Daniele, que também enfrentam o câncer. Entre elas, a cabeleireira Erlita Barcellos e a empresária Lícia Mara, animadas com a experiência.

“A amizade nossa é uma amizade verdadeira. A gente fala que nós somos as mosqueteiras. Na saúde, na alegria, na tristeza, nas dificuldades”, comenta Erlita. “Gostamos muito dela e estamos emocionadas em fazer parte desse dia tão importante”, acrescenta Lícia.

E são essas amizades que aliviam a dor de Danielle.

“Existe momentos que você pensa em desistir. Se eu falar que não, é mentira, principalmente quando você tem um laudo de terminal. Elas te dão apoio, te dão colo. Por elas terem vivido isso, elas sabem o que é passar mal, o que é uma quimioterapia”.

Fonte: Gazeta online

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *