Blog do Adilson Ribeiro

Itaperuna Quarta-feira 22:50 – Justiça ainda não decidiu se o Policial Militar acusado de matar Livson Lima irá a Juri Popular. Clique na foto abaixo e Saiba mais:

FAIXA COLOCADA EM FRENTE AO PRÉDIO DO MINISTÉRIO PÚBLICO, QUE FICA EM FRENTE AO BATALHÃO DA POLÍCIA MILITAR EM ITAPERUNA, PEDE JUSTIÇA PARA O CASO LIVSON. –  Por volta das 21:35 no Fórum de Itaperuna, terminou o depoimento da última testemunha presente, e ela disse  que confirmou o que já havia contado para a Policia, que viu o Policial Militar,  Artur de Miranda Teixeira atirar em Livson Lima. O taxista que socorreu a vítima não compareceu a audiência, também não compareceu nenhuma testemunha de defesa do acusado e serão intimadas por carta precatória. Artur que também deporia nesta quarta-feira (01/08/18), só será ouvido, após a justiça interrogar as testemunhas que ainda faltam, as oitivas estão marcadas para o próximo dia 27 de setembro e a audiência continuará, no dia 10/10/18 a partir das 13:00.

Livson Lima tinha 21 anos de idade quando foi assassinado.  

O Policial Militar,  Artur de Miranda Teixeira, acusado de Matar Livson Lima, tinha na época, 26 anos de idade.

Marcada para as 15:30 desta quarta 01/08/18), a audiência só começou por volta das 17:20, no Fórum de Itaperuna, às vésperas de completar dois anos do corrido. Foram ouvidos até agora (21:10), dois seguranças da casa onde o fato aconteceu, dois policiais, dois amigos e o irmão da vítima, Vinicius Lima, o último a ser ouvido será o acusado. O crime, que aconteceu na madrugada do dia 11 de agosto de 2016, em uma festa universitária no salão da Casa de Festas Rancho dos Palmares, em Itaperuna, onde já do lado de fora do evento, o policial teria sacado a arma e atirado contra o jovem. Livison, na época com apenas 21 anos de idade, ele chegou a ser socorrido por amigos e por seu irmão, Vinícius Lima, que presenciaram o crime, levado em um táxi ao Hospital São José do Avaí, infelizmente não resistiu e morreu.

Artur o PM acusado, foi preso em flagrante, porém no mesmo dia, foi hospitalizado com dores no nariz e ficou 20 dias internado no Hospital São José do Avaí, de onde após várias manifestações, carreatas e passeatas de amigos da vítima, foi transferido para o presídio de Bangu, no Rio de Janeiro.

Depois de ter um Habeas Corpus negado no dia 06/09/2016, com uma semana de cárcere em Bangu, pouco mais de um mês depois, no dia 11/10/16, véspera de feriado, Artur teve seu segundo pedido de Habeas Corpus concedido. E desde então, o acusado encontra-se em liberdade e trabalhando, segundo informações, realizando serviços internos no 29º Batalhão de Itaperuna.

Familiares e centenas de amigos comovidos com a precoce perda de Livison, fizeram várias manifestações na cidade e aguardam a decisão da justiça, que pode decidir hoje se o Policial Militar Artur de Miranda Teixeira, acusado de ter matado Livson Lima, irá ou não, a Juri Popular. Artur foi expulso da Polícia Militar e sua expulsão foi publicada no Diário Oficial do dia 11/07/18, exatamente um ano e 11 meses após o Crime.

Da Redação do Blog do Adilson Ribeiro

6 comentários sobre “Itaperuna Quarta-feira 22:50 – Justiça ainda não decidiu se o Policial Militar acusado de matar Livson Lima irá a Juri Popular. Clique na foto abaixo e Saiba mais:

  1. Jana

    Ele tem q ir a júri popular sim. Esses homicidas precisam receber uma punição à altura do crime q cometeram. Embora, convenhamos, nenhuma punição está à altura de tal barbaridade. Uma vida se perdeu e jamais teremos de volta.

    Esperamos q o assassino do Livison vá a júri popular e q receba pena máxima.
    É o mínimo, diante do mal q este assassino causou ao jovem, aos seus pais, irmãos, familiares e amigos.

    Acredito q já passou da hora de rever nosso cód penal. Um homem q recebeu treinamento militar, usar dos benefícios de ser policial para matar, não merece nunca mais ver a luz do sol em liberdade.

    Mas, estamos no Brasil. É só esperar q rapidinho ganha a liberdade e provavelmente fará algo pior, pois sua índole é má. Ele é um bandido q um dia usou farda e manchou a honrosa corporação.
    Vergonha.

  2. Bruna

    Com certeza deve ir a júri popular. É por isso que eu gosto dos Estados Unidos, um país de lei. Brasil, um país sem lei endereço corrupção.

  3. Carol

    Concordo com a Jana, ele deveria ir a juri popular sim. Aliás, na minha opinião, todos que cometem assassinatos, independente da profissão do assassino, deveriam ir a juri popular. Já passou da hora de pararmos de passar a mão na cabeça de quem comete um crime. Só discordo quando ela diz que ele usou benefícios de ser policial, pois ninguém precisa receber treinamento militar pra saber puxar um gatilho, como vemos em tantos assassinatos que acontecem todos os dias, então não vi benefício algum. Me desculpe se com esse comentário, também passo a discordar do título da matéria, quando é relatado que o policial militar acusado de matar Livson Lima irá a Juri Popular. A meu ver, ela não está na exata realidade, pois quem o matou foi o Arthur Miranda que não estava fardado, não estava a trabalho e nesse caso, nem representava a polícia militar quando cometeu o crime. Mais uma vez me desculpem, essa é só a minha opinião.

    1. Jana

      Respeito sua opinião. Seguimos firme clamando por justiça e em coro pedindo q esse criminoso vá a júri popular e pague pelo grande mal q causou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *