Blog do Adilson Ribeiro

Sexta Feira – 23:00 – Ciro Gomes: PT engana população para apresentar “poste” à Presidência. Clique na foto abaixo e veja mais

Lilian Tahan e Caio Barbieri entrevistam Ciro Gomes

Ex-ministro disse que o partido de Lula se aproveita do carinho e da gratidão do povo em relação ao ex-presidente para “enganar a população”

O candidato do PDT, Ciro Gomes, atacou o PT, em agenda no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (3/8). Após a convenção que lançou o deputado estadual Pedro Fernandes para disputar o governo estadual, o ex-ministro disse que o PT se aproveita do carinho e da gratidão do povo em relação ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para “enganar a população” na apresentação de um candidato.

“O que está em jogo, na burocracia do PT, é uma grande enganação, aproveitando o carinho e a gratidão justas que o povo tem com o Lula. Eles querem criar uma comoção no país para que, no dia que o Lula for tornado inelegível, eles apontem outro poste. A grande questão é se o Brasil aguenta outro poste, ou parte grande da situação que vivemos hoje devemos a escolha de um poste pelo Lula”, afirmou.

Ciro disse que “está sendo eleito pelo PT” e que o partido avalia que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) vai rivalizar com Geraldo Alckmin (PSDB) no campo da direita.

“Eles (PT), convencionais que viraram como todos os tradicionais e grandes partidos brasileiros, acham que Marina, por não ter estrutura ou dinheiro, está fora de combate. Eu não penso assim, e acham que eu sou a grande ameaça. A única coisa que explica esse gesto é eles acharem que eu sou a grande alternativa de renovação do campo progressista brasileiro, depois que o Lula claramente não vai ser candidato, ou não vão deixar ele ser”, disse.

 

Metrópoles

Um comentário sobre “Sexta Feira – 23:00 – Ciro Gomes: PT engana população para apresentar “poste” à Presidência. Clique na foto abaixo e veja mais

  1. Mouraci Stephen Carecho

    0 + 0 = 0…tudo é pura abstração.

    Abstração é um ato mental de isolar o objeto de reflexão daqueles fatores que o relacionam com a realidade e o que sobra é um grande vazio para onde o interlocutor mergulha em vã ilusão de que entendeu o recado. Em outras palavras, é uma troca de conversas nada objetiva de ambos os lados.
    Esse instante eleitoral se resume num show business de pura abstração, isto é, perguntas que nada perguntam e respostas que nada respondem. E nessa toada, o telespectador se envergonha da sua ignorância de nada estar entendendo e coagindo a si mesmo, dá-se por entendido.
    Ora, o governo único mundial já é uma realidade prática de tal sorte que políticos do mundo todo nada mais apitam em seus cargos decorativos. Em breve esses cargos todos estarão extintos. Por ora ainda permanecem, porém, mais como um meio de se ir colocando, gradativamente, a população a par da realidade, que propriamente com o objetivo do exercício das funções específicas de cada cargo.Basta notar esse festival de acusações mútuas, cujo teor da acusação sempre são os mesmos delitos comuns a todos simultaneamente.
    Por séculos os agentes das sombras vem estruturando as praças do planeta,criando ou fomentando institutos que dispersam as pessoas,tais como, futebol, religiões, estilos de vida, ideologias, modas e outras coisas mais que massageiam o íntimo pessoal. Hoje em dia as pessoas quase que naturalmente repelem-se umas as outras. É praticamente espontânea uma certa antipatia mútua por causa do clube do coração ou por diferenças no credo, pelas ideologias na política ou no estilo de vida, pelas preferências musicais ou programas de TV etc.
    Fato é que na prática as sociedades em todo o mundo estão multi subdivididas em guetos diversos que não suportam-se entre si. Isso impossibilita ações em massa, diminuindo a força de resistência enquanto o dominante segue soberano. Não mais haverão episódios do tipo “Queda da Bastilha” por absoluta impossibilidade de se aglutinar uma nação em prol de se defender uma determinada situação. Vide o episódio Dilma que,mesmo com todos os esforços do trabalho pago pelas redes sociais, de um contingente de 200 milhões de pessoas, apenas 2 milhões foram às ruas. A grande mídia foi que fez sensacionalismo exaltando o movimento, mascarando a realidade que ficou oculta. Passou sem perceber porque Dilma foi expulsa e ficou a impressão de que foi devido ao movimento popular. Ledo engano,foram os agentes das sombras quem trocaram seis por meia dúzia e o povo não viu.
    Não se iludam. Não existem mais fronteiras administrativas. N Y, o Arco do Triunfo, Montreal, a Torre de Pisa, la Bombonera, Moscou, Itajara, Córrego da Chica, Loteamento São Manoel, Guaritá, Av. Paulista etc estão num mesmo contexto de comando externo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *