Blog do Adilson Ribeiro

Sexta Feira – 23:50 – Investigações revelaram manual da Igreja Católica para abafar casos de abusos sexuais de padres. Clique na foto abaixo e veja mais

O mais novo escândalo envolvendo a Igreja Católica indica que a liderança da denominação no estado da Pensilvânia (EUA) agia de forma prática para abafar os casos em que sacerdotes eram acusados de abusos sexuais.

A Justiça norte-americana revelou que os representantes da Igreja Católica eram orientados a manter as acusações em sigilo usando táticas como o uso de termos relativos, perguntas inconvenientes às vítimas e, acima de tudo, manter os casos em um “arquivo secreto” que jamais chegasse à Polícia.

“É como um manual para esconder a verdade”, pontuou o grande júri, cuja investigação identificou mais de mil vítimas de abuso sexual em seis dioceses católicas na Pensilvânia ao longo dos últimos 70 anos.

O relatório sobre a investigação foi divulgado na última terça-feira, 14 de agosto. Segundo informações do jornal O Globo, no Poder Judiciário norte-americano, o “grande júri” é um organismo que decide se uma investigação criminal deve ser transformada em processo judicial, com a acusação formal dos acusados.

O Centro Nacional de Análise de Crimes Violentos do FBI designou agentes para uma revisão das evidências coletadas pelo júri, e foram identificadas práticas que se repetiram de maneira regular nas seis dioceses investigadas, com o propósito de encobrir denúncias de abuso.

“Apesar de cada distrito da Igreja ter suas idiossincrasias, o padrão era praticamente o mesmo […] O principal não era ajudar as crianças, mas evitar o ‘escândalo’. Essa não é a nossa palavra, mas a deles. Aparece repetidamente nos documentos que recuperamos”, indicou o relatório.

Confira a descrição do grande júri a respeito dos métodos da Igreja Católica para encobrir o abuso e proteger os padres na Pensilvânia:

Primeiro, certifique-se de usar eufemismos em vez de palavras reais para descrever as agressões sexuais nos documentos da diocese. Nunca diga “estupro”; diga “contato inadequado” ou “problemas de limite”.

Segundo, não conduza investigações genuínas com pessoal devidamente treinado. Em vez disso, designe membros do clero para fazer perguntas inadequadas e depois faça julgamentos sobre a credibilidade dos colegas com quem vivem e trabalham.

Terceiro, para uma aparência de integridade, envie padres para “avaliação” nos centros de tratamento psiquiátrico administrados pela Igreja. Permita que esses especialistas “diagnostiquem” se o padre era um pedófilo, baseado em grande parte nos “autorrelatos” do padre, e independentemente de o padre ter realmente se engajado em contato sexual com uma criança.

Em quarto lugar, quando um padre precisa ser removido, não diga o motivo. Diga aos seus paroquianos que ele está de “licença médica” ou que sofre de “esgotamento nervoso”. Ou não diga nada.

Quinto, mesmo que um padre esteja estuprando crianças, continue fornecendo-lhe moradia e pagando suas demais despesas, embora ele possa estar usando esses recursos para cometer mais agressões sexuais.

Em sexto lugar, se a conduta de um predador se tornar conhecida da comunidade, não o remova do sacerdócio para garantir que não haja mais crianças vitimadas. Em vez disso, transfira-o para um novo local onde ninguém saiba que ele é um abusador de crianças.

Finalmente e acima de tudo, não diga à polícia. O abuso sexual de crianças é e tem sido, em todos os momentos relevantes, um crime. Mas não trate dessa maneira; lide com isso como uma questão pessoal, que deve ser resolvida “dentro de casa”.

 

Gospel Mais

2 comentários sobre “Sexta Feira – 23:50 – Investigações revelaram manual da Igreja Católica para abafar casos de abusos sexuais de padres. Clique na foto abaixo e veja mais

  1. Ex-Freira

    ASSIM DIZ O SENHOR NO LIVRO DE 1TEMÓTEO CAPÍTULO 3:

    “ESTA É UMA PALAVRA FIEL: se alguém deseja o EPISCOPADO, excelente obra deseja.

    Convém, pois, que o BISPO seja irrepreensível, MARIDO de uma MULHER, vigilante, sóbrio, honesto,

    hospitaleiro, apto para ensinar;

    Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não

    avarento;

    Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia…” 1 Timóteo 3:1-4

  2. Mouraci Stephen Carecho

    DO SAGRADO AO PROFANO…via sistema econômico-financeiro.

    A metafísica era o caminho que levava ao conhecimento. Pode-se dizer, a grosso modo, que metafísica era um mix de religião e ciência fundidos num só conceito e prática. Num determinado momento da história humana, o interesse econômico se tornou maior e provocou a ruptura. Assim, pode-se dizer que isso que ora chamam de ciência começou onde o que chamam de religião parou.
    Daí veio o cientificismo, que nada mais é do que uma concepção louca, afirmando a superioridade dos métodos científicos sobre todas as outras formas de compreensão humana. Nisso, a ciência então se afasta, de vez, da filosofia, como se o universo fosse desprovido de essências e de mistérios.Tudo passou a ser simplificadamente explicável.
    E, dentro do embotamento de uma cosmovisão cartesiana, que considera o universo puramente em seus aspectos quantitativos, a ciência trouxe à luz daquilo que foi rotulado de “o conhecimento moderno”, um conceito prático e simples, o conceito de objeto-utilidade, ou seja, passou a ser considerado realidade somente aquelas coisas úteis ao bom andamento do sistema sócio-econômico, cujo instrumento de medida é o lucro. Isto é, se dá lucro é coisa real e viável, do contrário, está fora da reflexão humana.
    Com esse modo simplificado de raciocinar, os mistérios e as essências da natureza não estão sendo observados e o sujeito encorajado porque entende que tem o total domínio da realidade plena. Tem daqueles até que, pelo que pregam, sabem dos planos de Deus. Por certo são mais poderosos até, uma vez que possuem o poder de entrarem dentro da mente de Deus ao ponto de saberem dos desígnios divinos.
    Falando sério, Deus tem sido considerado como uma entidade íntima, um camarada prestativo apenas, no fundo um parceiro de negócios. Para muitos Deus é como um serviçal, disponível para todo o tipo de atendimento.
    Diariamente passa por esse blog uma pequena amostra do resultado desse processo da dessensibilização que acontece na sociedade já desde o início da idade moderna. Isso é coisa patrocinada de longa data.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *