Blog do Adilson Ribeiro

Itaperuna – Sexta-feira – Atualizada às 22:35 – Mãe e madrinha acusam médica de forçar parto normal e causar morte de recém-nascido no Hospital São José do Avaí. Clique na imagem e entenda o caso:

No dia 21 de fevereiro deste ano, Thaynara Fialho, madrinha de um bebê nascido no dia 02/02/19 no HSJA, procurou o Blog do Adilson Ribeiro para expor o ocorrido com sua amiga, Caroline de Castro Miranda, de 20 anos, que foi dar à luz e acabou passando por um pesadelo.

Na mensagem, Thaynara relata que ela e sua amiga prestes a dar à luz deram entrada na maternidade do hospital por volta das 10 horas da manhã do dia primeiro de fevereiro. Caroline estava com 39 semanas e 1 dia de gestação e com contrações. Na maternidade, ela foi atendida pelo médico Dr. Plínio, que verificou que a gestante tinha 4 centímetros de dilatação e a internou para poder dar início ao trabalho de parto. Mediram sua barriga e pelo tamanho dela julgaram que o bebê era pequeno e passaria com facilidade. Segundo sua amiga, Caroline queria fazer e pretendia marcar uma ultrassonografia nesta mesma data, já que a última havia sido feita quando ela estava com 34 semanas de gestação. Os médicos não fizeram a ultrassom e sim um exame de toque a cada duas horas, verificando que não havia aumento de dilatação.

Às sete horas da noite deste dia era o plantão da médica Jocieli Locatelli Cerqueira, que também fez o exame de toque e ao constatar que a dilatação se mantinha nos 4 centímetros, disse que faria a cesariana na manhã do dia seguinte, porque, segundo ela, no período da noite só fazem casos de emergência.

Caroline de Castro Miranda em ensaio fotográfico antes de dar à luz.

Caroline tomou um buscopan receitado pela médica e seu efeito durou cerca de 1 hora, as dores e contrações obviamente continuavam e ela passou toda a noite sofrendo com elas, que só amenizavam debaixo do chuveiro, local onde ela passou boa parte da madrugada.

Na manhã seguinte, por volta das 8 horas, o Dr. Luis Alberto M. de Castro pegou o plantão. A Dra. Jocieli foi até o quarto de Caroline e após constatar que a dilatação havia aumentado (estava em 8 centímetros), levou Caroline para uma sala de atendimento e furou a bolsa do bebê, mesmo que a mãe estivesse pedindo desesperadamente pela cesárea, visto que ela já tinha ido para o hospital com as dores das contrações e ainda passou a noite inteira sem dormir por causa disso. Neste momento, Thaynara afirma que a médica disse as seguintes palavras: “Agora nem se você quiser eu vou fazer a cesárea, já furei a bolsa, vai ser normal.” E mandou Caroline voltar para o quarto.

Às 10h da manhã do dia 02/02 o médico plantonista chegou acompanhado da médica Jocieli e uma enfermeira e a encaminharam para a sala de parto. Após dar início ao trabalho de parto, constataram que o bebê estava preso na pelve da mãe e continuavam dizendo para ela fazer força, mas o bebê não saía. O médico ao perceber a situação, sugeriu uma cesárea, mas a Dra. Jocieli não queria e disse que a mãe é que deveria fazer mais força porque não estava fazendo o suficiente.Thaynara disse que ouviu a Dra. dizer que o bebê tinha passagem na vagina, mas que o canal estava estreito e ele não conseguiria atravessar. Fizeram manobras de forçar a barriga da mãe para empurrar o bebê e ajudá-lo a descer e até mesmo uma episiotomia (quando cortam a área entre a vagina e o ânus para aumentar o espaço de saída do bebê) que Thaynara julgou desnecessária, já que a própria médica disse que na vagina tinha espaço.

 

Depois de todos os esforços, o médico plantonista que havia sugerido a cesárea saiu da sala para chamar o Dr. Rogério Martins, com quem Caroline havia feito o pré-natal e que realiza cesarianas de emergência. A médica Jocieli não queria que ele fosse chamado e colocou a mãe de cócoras no chão e disse: “faz força, anda, você não está fazendo força o suficiente, faz força, seu bebê tem que nascer”. Thaynara conta que saía muito sangue de Caroline, mas o bebê não. O Dr. Luis Alberto retornou e iria colocá-la em uma maca, quando Jocieli disse que não precisava porque o bebê estava saindo. O médico então pediu que ela fizesse força, e o bebê não saiu, apenas coroava. Notando isso, Luis empurrou a cabeça do bebê para dentro da vagina da mãe e desceu disparado para o centro cirúrgico, onde o Dr. Rogério já se encontrava. O anestesista aplicou a peridural e deitou Caroline. Thaynara conta que a médica Jocieli fez o primeiro corte na pele de sua amiga neste momento e que Caroline reclamou de dor, pois ainda não havia dado tempo da anestesia fazer total efeito. Ela diz que o anestesista ainda perguntou: “por quê você está cortando? Eu ainda nem deitei a maca!” e colocaram uma máscara na mãe que finalmente dormiu, anestesiada.

Foi feita a cesárea e retiraram um bebê, menino, de 50 centímetros e 2,850kg, com a pele pálida e azulada. Ele foi entregue ao pediatra, que teve que fazer massagens no bebê e ventilação com ambu para que ele respirasse, então finalmente ele começou a ficar corado e chorou pela primeira vez. Foi levado para a UTI neonatal, pois respirava com dificuldade.

Thaynara e seu afilhado, logo após as massagens e antes de ir para a UTI Neonatal.

Quando a mãe chegou em seu quarto no hospital, a pediatra a informou que faria uma tomografia no bebê porque desconfiava que ele tinha algum trauma na cabeça. Thaynara aguardou o horário de visitas, foi visitá-lo na UTI e percebeu que ele estava com a cabeça inchada e completamente pálido. A pediatra informou Thaynara de que ele estava com uma hemorragia na cabeça e havia solicitado um neurocirurgião para avaliar o caso. Confirmaram a hemorragia e constataram que ele estava com o número de hemácias muito abaixo do normal (23%), e precisaria de uma transfusão de sangue e, principalmente, sobreviver até o sangue chegar. A primeira transfusão foi feita e outro exame para medir a quantidade de hemácias também. Segundo a médica, era pra ele estar com pelo menos 50% mas estava com 29%. Ela disse que fariam outra transfusão caso o número continuasse caindo.

Outra transfusão foi feita e desta vez, Thaynara conta que viu um bebê roxo por conta da transfusão recente, e com a cabeça extremamente inchada. Um bebê que segundo ela teve todo o acompanhamento pré-natal e se mostrou saudável durante toda a gestação. Era um sangramento entre a pele e os ossos da cabeça. Não foi considerada a drenagem do sangue porque os médicos esperavam que o sangue infundido pressionasse o local da hemorragia e parasse o sangramento, mas isso não aconteceu.

Na madrugada do dia 02 para o dia 03 de fevereiro, o bebê sofreu uma parada cardíaca e foi reanimado; seu estado era gravíssimo. Finalmente a mãe pôde vê-lo pela primeira vez, visitando-o na UTI. Ele estava com a cabeça ainda mais inchada e sedado.

Thaynara conta que a mãe do recém-nascido nem chegou a ver os olhos do filho, já que depois de quatro transfusões de sangue e duas paradas cardíacas, o bebê faleceu. Apenas duas horas após a mãe ter visto o filho pela primeira vez.

O bebê sendo velado no dia 04/02

A secretaria do Hospital São José do Avaí informou ao Blog do Adilson Ribeiro que a médica Jocieli Cerqueira estava em residência e já não faz mais parte da equipe do hospital.

Jocieli foi procurada pelo Blog do Adilson Ribeiro, mas até o momento da publicação desta reportagem não quis se pronunciar sobre o caso.

Da redação do Blog do Adilson Ribeiro

Por Adilson R. R. Filho

 

 

45 comentários sobre “Itaperuna – Sexta-feira – Atualizada às 22:35 – Mãe e madrinha acusam médica de forçar parto normal e causar morte de recém-nascido no Hospital São José do Avaí. Clique na imagem e entenda o caso:

  1. Veralaine Teixeira de Freitas

    Isso e um absurdo!!! Meu Deus, até quando pessoas despreparadas vão continuar tirando vida de inocentes e destruindo famílias?

  2. Fernanda Aquino

    Rapidamente o hospital diz que essa medica nao faz mas parte pq sua residência tinha acabado la.
    Mulheres a ponto de da a luz sendo cobaia que vergonha que humilhação e dor pra essa mãe que sofreu tanto de dor e ainda perdeu o filho.

    1. Juliana

      Lamentável tudo isso mas até onde sei Dra. JOCIELE era residente sim e havia um responsável por ela que se nao me falhe memória é Dr. Luiz Alberto Martins de Castro e o responsável geral pela maternidade Dr. ROGÉRIO MARTINS DE CASTRO.
      Pq só nome dela que ta jogada os responsáveis por ela temnque responder ou estou errada até pq residente não poderia pegar sozinha e também não dá plantão sozinho.

      1. Thaynara

        Sim,isso mesmo,porém ele queria levar pra cesárea,e ELA não queria.Ele era responsável pelo plantão,mas a barbaridade quem fez foi ela.Não vou apontar os justos,relatei em resumo o que realmente aconteceu lá dentro,e ele,que não deixou que prolongasse mais o sofrimento dela(além do risco de perder a mãe no parto também,coisa que ELA não pensou quando forçou a situação vendo que não sairia o meu afilhado) me chamou em uma sala reservada e conversou muito comigo,chorou junto e me falou coisas que jamais esquecerei.Não quis me ganhar com discurso,mas sim dividiu comigo o desespero dele.No dia do julgamento( pois sim, haverá um julgamento) Quero ver ela responder pelo que fez.Se não fosse por ele,além do meu afilhado,a mãe do bebê também não estaria aqui.

  3. Marcos Vinicius

    Adilson muita falta de respeito,com minha esposa aconteceu isso,a bolsa dela estourou as 19:40 e quando fui levada para hospital,eu estava trabalhando ela me ligou fui correndo para lá,A médica deu remédio na veia dela e mandou ela voltar para casa que só podia fazer parto dela as 06:00 da manhã,voltei indignado,pelo fato de já entrar em trabalho de parto e ter q voltar com minha esposa para casa,sua do deu 1hr depois com muita dor se aguentar ficar em pé,chamei taxi e voltei com minha esposa para hospital,ela ficou de 23:00 até 05:40,aonde ela me contou que não estava aguentando mais as dores,ela fui no banheiro colocou os pés na parede e vez muita força para que nossa filha nascesse pq eles não queria fazer parto dela,pq ela não tinha passagem para normal,no entanto que na folha estava Cesária e fui normal,ela de tanta força que vez,pq não estava aguentando a dor mais…de A luz em cima da maca,a criança saiu e ela só fui para sala do parto para corta,a criança já estava nas mãos dela…

    Venho denuncia o hospital,por isso tb…
    Avisei até polícia na hora que se minha esposa fosse mandada embora para casa eu iria fazer uma ocorrência e denunciar o hospital São José do Havaí

  4. Ricardo

    Adilson você é um bandido falar isso, você vive de mentiras! Seu sem vergonha vagabundo! Se prepara para o processo tomará que lhe tirem até as cuecas!! Vagabundo!!! Vai arrumar um emprego seu asqueroso!!! Vai aprender a fazer notícia!! Lixo!!! Escoriaaaa!!! Nojo de você, só de olhar na sua cara da vontade de vomitar!! Seu rato de esgoto!!!

    1. Thaynara Fialho

      Epa,pera lá.Quem deu esse relato fui eu.Eu sou a madrinha do bebê.Eu estive com a mãe em todos os momentos,eu vivi toda a dor descrita acima,eu vivi a dor de desmontar o quartinho preparado para ele,tudo perfeito,para recebê-lo em um caixão.Acha justo isso?Pois eu não acho.Vivo em luto por não ter meu menino comigo,é uma dor que jamais passará.Acha justo?Não desejo isso a ninguém.

      1. Larissa

        Eu sei bem o que vocês estão sentindo.
        Lamento profundamente a perda… peço a Deus que conforte os corações e a mãe que lhe dê forças pois, eu sei bem o que é isso…você preparar para o nascimento de um filho e ao retornar pra casa não tê-lo.
        O meu caso foi bem parecido. Há 13 anos atrás dei entrada na Maternidade Santa Teresina para ter minhas filhas… estava grávida de gêmeos. Por falta de HUMANIDADE perdi uma das filhas. Muitos ainda dizem: “pelo menos ficou com uma”. Mais só quem perde sabe o tamanho da dor que toma conta de toda a Família. Pois estava tudo preparado para receber 2 crianças e por falta de proficionalismo e humanidade só retornei com uma criança para minha casa.
        Pedi muito a Deus… e Ele me deu o conforto que eu precisava.
        O problema da nossa sociedade está toda voltada para a maldição do DINTEIRO. Se você não tem um plano ou dinheiro para arcar com uma cesariana, vai sofrer… tem que pedir muito a Deus e acaba no que está acontecendo… pais perdendo seus filhos por incompetência e descaso.
        Desejo a voces forças… e Deus vai curar essa ferida.

    2. Junior

      Vc eh um merda.. Sabe nem oq tah falando filho da puta.. Não gsta do cara problema eh seu. O fato eh verídico..
      Deve ser eh parente dessa medica d merda assassina

    3. Lúcia

      Não foi o Adilson que falou, ele relatou o pesadelo, o terror que a família e amigos descreverem, porque tudo foi exatamente como ele relatou, sofrimento por 26 horas, luto para a vida toda

  5. Vanessa

    É impressionante, aliás, muito triste como alguns seres humanos gostam de tirar vantagem em cima dos outros… Quem conhece a médica retratada acima sabe o quanto a mesma é extremamente profissinal e vive literalmente para a profissão. Existem condutas que realmente são necessárias e uma pessoa leiga nunca será capaz de entender. Espero que isso nao desistimule a mesma, pois seria uma perda muito grande para o mundo, de verdade.

    1. Thaynara Fialho

      Excelente profissional,mas que não soube nem ver que uma mulher não tinha dilatação suficiente para ter o bebê,que fora alertada pelo médico especialista que deveria ser feita uma Cesárea de emergência mas queria forçar o parto normal.Uma excelente profissional que deixou uma mulher sofrer mais de 26 horas de trabalho de parto,para o bebê nascer com hemorragia na cabeça,machucado, e
      Vir a óbito mesmo sabendo que a mãe havia chego em trabalho de parto de manhã cedo do dia anterior eimplorava pela cesárea pois não estava exausta.Uma excelente profissional que pôs em risco a vida da mãe,que não esperou uma anestesia fazer efeito antes da primeira incisão na pele.Por favor,reveja seus conceitos de excelente profissional,eu não estou inventando nada disso,eu estive lá e acompanhei cada segundo do que aconteceu.Estou falando de FATOS,com PROVAS,não de um bate boca qualquer.

    2. Thaynara Fialho

      E,para esclarecer,não sou uma pessoa leiga sobre o assunto.Sei muito bem o que vi e o que vivi e sei muito bem o que estou dizendo.Tenho conhecimento suficiente para dizer o quanto foi desumano.Você não está lidando com um alienado.Pensei bem antes de julgar errado.

    3. Renatha motta

      Vc fala isso pq não e seu filho,qnd se forma falam que e por amor a medicina.medicina e o caralho se tivessem dinheiro essa mãe não tinha perdido a criança.essa médica e uma assasina…tem que pagar pelo que fez

    4. Talita

      Vc fala isso porque não foi na sua buceta que foi cortada e não foi seu filho que morreu por causa de um parto normal sem condições… dá a sua buceta pra Dra Jocieli cortar então… e fica lá de cócoras tentando parir sem ter forças e sangrando…vcs médicos são uma escória que defende um a merda que o outro faz, e faz os pacientes de cobaias… acham que são Deus… vai aprender a ter amor ao próximo primeiro pra depois vir defender esse lixo

    5. Dalila Silveira

      Falam isso pq não passaram pela dor de perder um bebê que foi tão esperado, cada coisinha q ela comprava mandava fotos, a gente esperando ansiosos… Espero q essas pessoas que estão defendendo nunca tenham q passar por isso pra saber como é, não desejo pra ninguém, podia estar aqui hj o meu netinho 🙁

  6. Vanessa

    Só pra deixar claro, a médica não faz mais parte da equipe pois terminou sua residência (3 anos) e passou para sua 2ª especialização (R4), mostrando mais uma vez sua excelente capacidade profissional.

    1. Thaynara Fialho

      Excelente profissional,mas que não soube nem ver que uma mulher não tinha dilatação suficiente para ter o bebê,que fora alertada pelo médico especialista que deveria ser feita uma Cesárea de emergência mas queria forçar o parto normal.Uma excelente profissional que deixou uma mulher sofrer mais de 26 horas de trabalho de parto,para o bebê nascer com hemorragia na cabeça,machucado, e
      Vir a óbito mesmo sabendo que a mãe havia chego em trabalho de parto de manhã cedo do dia anterior eimplorava pela cesárea pois não estava exausta.Uma excelente profissional que pôs em risco a vida da mãe,que não esperou uma anestesia fazer efeito antes da primeira incisão na pele.Por favor,reveja seus conceitos de excelente profissional,eu não estou inventando nada disso,eu estive lá e acompanhei cada segundo do que aconteceu.Estou falando de FATOS,com PROVAS,não de um bate boca qualquer.

  7. Otavio silva

    Nao entendi nada!!!!
    Residente que dava a ordem ao medico?
    Ora nao tinha o medico la Dr Luis Alberto?
    Certamente ele tem responsabilidade, pois msm deveria saber que a medica era academica, e assumir o intercorrencia.

  8. Fabiana

    Boa noite!! E muito triste perda filho !!ainda mais sabendo que foi erro médico!!! Pelo que eu lir .esse caso parecido como meu eu estava grávida de mim menino comecei a passa mal dia 29de setembro 2013 .fui médico com muito dor estava com constracao perdendo líquido quiseram que eu tomasse discopam para dor ..eu disse que eu não toma nada porque meu bebê ja estava na hora de nasce .fiquei passando mal em casa 4 dias até chegam um dia da consulta da médica. Ela na mesma horas fez toque perguntou porque vc esperou muito tempo .ao vim ao médico vc já está em trabalho de parto algum dias .eu respondi pra ela eu hospital mais não me manda para itape.medica falou comigo esse bebê e pra hoje .quase perdi meu filho…….chegou no hospital á médica nem mal mim escosta diz pra mim mãe ela vai que fazer parto normal porque bebê não está pulmões totalmente fechado .ele ter para uti .eu só escutava ela ..na hora eu só ficava ligando com deus ..mimha ficava nervosa .eu falava mãe não se preocupada deus está controle tem fé .quando médica chegou fez toque esse bebê e pra hoje .vou ter fazer Cesária. Meu bebê nasceu lindo saudável foi pro quarto junto comigo .deus e fiel

  9. Lívia couro

    Minha prima morreu la por causa de um Tal de Anderson Couto q fez ela ir pra casa depois de sofrer uma trombose falou q não era nada.Quando voltou morreu.Apenas 20 anos deixando a filha dela de 3 dias.Sorte daquelas q entram la e é atendida por uma ou um “residente”é sai vivos.Infelizmente a saude publica é uma b… felizes aqueles q tem um plano vai lá pra ver a diferença q tu é tratado.

  10. Wanderson

    Sim, realmente foi erro,mas não era necessário expor fotos assim, muito fora de ética, ainda mas expondo o bebê!!!

  11. Liberato Pereira da Silva Filho

    Esta barbaridade aconteceu no Hospital São José do Avahi e a resposta do hospital foi apenas esta relatada e,esta médica,si é médica mesmo si formou onde na UNIG? aliás toda esta equipe têm de alguma forma ser responsabilizado por esta lambança que causou a morte de um bebê e colocou em risco a vida da mãe.Este lamentável acontecimentos é caso de polícia, é caso de justiça,do Ministério público assumir parte no caso, e se o apurado for constado, imperícia, negligência, irresponsabilidades, todos eles deverão ser punidos e ter o diploma de medicina cassados,pois não nasceram para o exercício da profissão,faz parte deste grupo que fez o curso para agradar aos pais e pra ter estatus

  12. Fernanda

    Para os que falam sem saber , residente não é acadêmico ! Residente e médico formado fazendo especialização . Todos são tratados na maternidade do mesmo jeito, independente de ter plano ou não , pois quando a gestante tem alguma intercorrência elas são todas atendidas no mesmo lugar !! E espero que todos que fizeram os comentários saibam muito bem oq estão escrevendo , pois isso tudo cabe processo ! Sobre a médica residente , espero que vcs tenham provas de tudo, pois capacitada eu sei que ela é !

  13. Jaqueline braga pimentel

    Hospital são José do Avaí pouca vergonha uns médico pior de outro .Eles são muito bom pra as pessoas de fora nós que moramos aqui morre eles não faz nada .Minha irmã fez quase perdeu a vida depois do parto cesariano ela pagou a cirurgia com Dr Rogério deixou plaseta toda na barriga dela depois do parto Ele não vale nada . Nós Itaperuna temos que denuncia esses médicos .

  14. Erica

    Boa noite! Li o relato e estou estarrecido. É muito triste ver que quando mais precisamos é estamos frágeis, com medo… Ai deparamos com esse tipo de tratamento e de gente que ainda fazem esse tipo de absurdo com um ser humano. Queria saber para que muitos médicos fazem juramentos de salvar vidas e as tiram com tanta normalidade? Penso eu que o hospital tem responsabilidade sim com essa médica e com o ocorrido. E acho que devemos dar o direito da dúvida a essa médica, se caso ela já procurou a delegacia e o jornal para esclarecer, caso não… Acho que é declarada culpada. Infelizmente em alguns casos um diploma tb é uma arma… E infelizmente confiamos neles para cuidar de nós. Deixo aqui meus sentimentos e realmente fiquei muito triste em ler esse tipo de relato em nossa cidade… Um bebê que podia estar lindo e saudável entre nós. Muita indignação!!! Esperamos a médica com sua resposta.

  15. Edir Magalhães

    É só ela ir no centro médico ê fazer a denuncia ao conselho nacional de medicina 4*andar.isso não pode acontecer,falta de responsabilidade dessa médica xinfrinha,falta de respeito isso é crime tem que cassar o CRM dela.

  16. HELDA

    QUE horror!!!Imperícia, imprudência!!!Tem que processar essa tal médica. PROVIDÊNCIAS tem que ser tomadas urgentemente!

  17. Izabel

    É muito ” residente* nas enfermarias enchendo o saco dos de doentes. Os médicos plantonistas com rara excessão ficam o tempo todo no “ZAP” .

  18. GILSON CAETANO DE FREITAS

    Fiquei chocado com esse filme de terror! As autoridades tem que investigar e punir os responsáveis.

  19. Rosane Luíza

    Bom dia Adílson Ribeiro meus olhos encheu de lágrimas como quê uma mãe carrega um filho nove meses pra acontecer uma coisa dessa e um meu de mal vantade de trabalhar porque se eles quiser se mesmo eles tinham salvado a vida do bebé bom dia a todos vocês

  20. Lorena

    Essa gente que está defendendo essa médica desgraçada certeza que são médicos também.
    Raça ruim que se protege.
    Se acham Deuses. 90% não se torna médico porque ama a profissão. Só por causa de status.
    E escolhem as cidades de interior porque nesses lugares médicos são considerados reis, tem privilégios.
    Mas numa grande capital são apenas mais um. São trabalhadores como qualquer motorista de táxi, gari, engenheiro, psicólogo e etc.
    Tomara que essa imbecil que agora tem CRM encontre um médico tão ruim quanto ela quando estiver grávida e a faça passar pela mesma coisa. Aí vai sentir a dor que causou e vai virar gente.

  21. Mouraci Stephen Carecho

    É DAÍ PARA PIOR…porque a ordem é a desordem.

    Esse é o preço que a sociedade paga pela sua ampla ignorância.
    Ninguém tem o direito de reclamar porque todos são cúmplices da ruína social. Onde quer que seja estão lá profissionais de pouca ou nenhuma qualificação. Até no supermercado aquele cara que embala não sabe que precisa separar o sabão do arroz e da carne.
    Preguiça de ler, preguiça de aprender e todos só vivendo de lazeres, TV, igreja e futebol, ou seja, mentes que jazem unicamente no campo do entretenimento. E mente distraída é como porta aberta ao convite dos alheios.
    Assim é que a agenda global vai se cumprindo e dominando as nações. O país é tão somente uma praça de consumo inveterado de todo o tipo de coisa.
    Faculdades em cada esquina, estudantes e professores nas baladas, quando muito se ocupam de uma página xerox daquele capítulo que vai cair na prova. Final do curso é festa cara para condecorar um burro.
    Poucos enriquecendo pelo dinheirismo praticado sem pudores. É um querendo tomar o que é do outro.
    Não é necessário ter conhecimentos; bastam diploma e carimbo e bola pra frente. É assim que entende a ONU, é assim que chegam as ordens lá de fora. Corte o cara, troque uma peça e dá remédios.
    Vidas e mercadorias se alternando num insano ciclo financeiro que multiplica numerários. Erro profissional já é regra no país. O importante é fazer o dinheiro circular sem parar. Violência, criminalidade, miséria, fome, comércio, indústria, religião, morrer, nascer, tudo é mero ramo da economia global que multiplica patrimônios;
    Pare de reclamar que na TV tem novela, gols e sexo a vontade. Rápido, recarregue o celular que a Vivo só quer mesmo é o seu dinheiro. Tente um selfie de alto risco e espalhe pelo zap. Corre pra fila que chegou o celular top. E vê se não atrasa o dízimo senão o diabo te leva.

  22. G.C.A. D. E

    Lamentável! Muito triste . A dor dessa mãe não tem tamanho. Infelizmente existem profissionais e “profissionais “. Tenho 4 filhos e todos nasceram no hospital São José do Havaí. Fui muito bem recebida por toda equipe. Mas quando fui dá a luz ao meu 2 filho fui atendida por um residente que não foi nada profissional . Falou coisas que hj com o conhecimento que tenho sei que se caracteriza como falta de ética. Infelizmente existem pessoas que não têm amor pela profissão que assume .
    Mas quanto aos outros partos foi super tranquilo e parabenizo a maternidade do hospital São José do Havaí. Lamento muito o que aconteceu e espero que a justiça seja feita.

  23. Lucelena campos freitas

    Não tem q procura está maldita médica não é procura uma equip de advogados
    Q não aceita propina colocar este hospital na justiça o hospital tem que ser responsabilizado pelos promocionais q coloca dentro para salvar vidas não tirá. Não tem preço a vida deste filho tão esperado mais faz justiça por ele ,este não é o primeiro caso que acontece não conheço uma menina deficiente de um braço que na hora do parto machucaram a criança família humilde fica pra baixo e pra cima cuidando da criança com fisioterapia para não Trofia sem comentário vergonha falta de amor falta de um tiro na Funasa deste médicos e desta médica q acompanhou cadeia pra eles e pouco eles tirarão o direito de uma criança viver tirá a deles também q já viveu muito para matar criança.

  24. Maxwell faria

    Não é fácil uma situação dessas, deve ser uma dor insuportável. A indignação é compreensível, principalmente por parte da família. Há de ser investigado antes de qualquer julgamento. Agora o que é fato, e não precisa ser julgado, é que não havia a necessidade de colocar essa foto para ilustrar a matéria. Pois mesmo se tiver sido com o consentimento dos pais há de se ter bom senso. Meus mais sinceros sentimentos aos pais e a família em geral. Espero que a justiça seja feita, e que principalmente os entes guardem em sua memória outra imagem de seu bebê. Porque essa que está na capa da matéria realmente é tão cruel quanto o fato em si. Que Deus lhes conforte.

  25. Leandro

    Primeiramente, mesmo a família autorizando mostrar essa imagem, vc como jornalista deveria saber que isso é crime( Vilipêndio, exposição de cadáver). A Família é leiga e está abalada e vc se aproveita claramente do fato.
    Segundo, se eu fosse a dra Jocely, te metia um processo, visto que a mesma é residente e cumpre ordens do plantonista( No caso o médico de plantão) Então toda a responsabilidade do que ocorre no mesmo é do plantonista, a residente está lá para aprender e diga-se de passagem está no hospital há 3 anos.
    Terceiro, o hospital Sao josé do Avaí dando essa notinha falando que a mesma não faz mais parte da equipe querendo tirar o corpo fora…A dra Jocely trabalhou muitoooo por vcs e merecia mais consideraçao! Ao menos vcs deveriam escrever que iriam apurar os fatos, antes de simplesmente dizer que a mesma não faz mais parte do corpo clínico. Estamos aguardando o pronunciamento do chefe da maternidade, com uma resposta decente pelo menos.

  26. AlcantarAlcântaraa

    É legal né , residente ditar ordens para um médico…só em itaperuna msm pra acontecer isso . Cúmulo do absurdo !
    Disseram q a residente sabia o q estava fazendo … sabia tanto q o bb faleceu . Sinceramente ? Ela precisa voltar do 0 na faculdade .
    Estive na cidade em Rio das Ostras , no hospital onde minha amiga ganhou a minha afilhada . Que tratamento com as pacientes! Na portaria não me deixaram entrar por está com sandalia aberta ( so entra com sapatos fechados ) . A paciente tem direito a um acompanhante , cafe da manha , almoço, lanche da tarde , janta e ceia , e , em todas as refeições tinha fruta e suco E eu como acompanhante tive todas as refeições tbm , porém no refeitório . Tratamento vip . Parabenizei toda a equipe do hospital , desde a portaria , aos medicos e area da limpeza . E detalhe : minha amiga não pagou nada e nem sofreu pra ter bb e fez ” Cesária” .
    Hospital Municipal . Precisamos de um Urgente aqui .

  27. Ana Paula

    Como uma medica em residência pode ficar sozinha com uma paciente tudo indica que ela esta aprendendo cadê o plantonista responsável ,alguém tem que ser responsável e assumir as consequências porque tudo tem. Força pra família

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *