Blog do Adilson Ribeiro

RJ – Sábado – 10:50 – Mulher simula o próprio sequestro alegando ser maltratada pelo marido. Veja abaixo:

Uma mulher simulou o próprio sequestro em Teresópolis, na Região Serrana do Estado. No depoimento, a dona de casa alegou que era maltratada pelo marido e queria que o companheiro a valorizasse mais. De acordo com as informações da 110ª DP (Teresópolis), o homem compareceu na distrital no fim da tarde de terça-feira para registrar o suposto sequestro da esposa após ela sair para buscar as filhas na creche.

O marido relatou aos agentes que passou a receber mensagens de ameaças e fotos da mulher no suposto cativeiro. No entanto, nenhum valor para o resgate foi solicitado, segundo a distrital. A primeira linha de investigação da Polícia Civil foi apurar a motivação do sequestro. O homem relatou aos agentes que sua única desavença havia sido com traficantes anos atrás.

Já na quarta-feira, a distrital começou a pesquisar por lugares que a mulher pudesse estar confinada. Os investigadores foram até um hotel daquele município depois de identificarem semelhanças com o quarto do hotel e as imagens enviadas da mulher.

No local, um funcionário relatou que a dona de casa havia se hospedado no hotel e sequer tinha saído do quarto para comer. Enquanto os agentes checavam o estabelecimento, a mulher entrou em contato com o marido, alegando que havia sido libertada.

Na distrital, de acordo com os investigadores, a dona de casa disse no início que havia sido sequestrada, porém, após os diversos questionamentos, ela relatou que havia inventado a história porque era maltratada e recebia constantes ameaças, além de xingamentos do marido. Ela usou um chip pré-pago para simular o sequestrador.

Segundo os agentes, o marido confirmou o histórico de ameaças e afirmou ser ciumento. A mulher não quis representar contra o marido. No entanto, como a situação se enquadra na Lei Maria da Penha, o caso foi remetido à Justiça, que marcará uma audiência especial.

Fonte: O DIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *