Blog do Adilson Ribeiro

Itaperuna – Segunda-feira – 14:15 – Como está o Cristo Redentor depois de 51 anos

 

Com 51 anos completos no último dia 20 de janeiro, o Cristo Redentor de Itaperuna, com seus mais de 20 metros de altura, continua sendo uma construção imponente e que pode ser vista de vários pontos da cidade.

Projetado pelo escultor capixaba Antônio Francisco Moreira, o monumento está catalogado no mapa da Cultura do Estado do Rio de Janeiro e possui um potencial turístico a ser explorado.

Alguns pontos positivos podem ser colocados ao se visitar o espaço.   A vista é atraente, sem muito esforço é possível ver o centro, o bairro cidade nova, alguns pontos Rio Muriaé e um horizonte de encher os olhos.   Com algum esforço se pode ver os bairros Aeroporto, Caiçara, Vinhosa, Vale das Orquídeas, Frigorífico, Niterói e o Campo de Aviação.

Alguns pontos negativos, como a acessibilidade, podem ser colocados. Faltam placas indicativas do caminho, as vias são irregulares e com muitos obstáculos, o pátio no entorno do Cristo nece Writing Studio tp://adilsonribeiro.net/wp-content/uploads/2017/01/cr2-1-1024×764.jpg” alt=”” width=”1024″ height=”764″ />

Com 51 anos completos no último dia 20 de janeiro, o Cristo Redentor de Itaperuna, com seus mais de 20 metros de altura, continua sendo uma construção imponente e que pode ser vista de vários pontos da cidade.

Projetado pelo escultor capixaba Antônio Francisco Moreira, o monumento está catalogado no mapa da Cultura do Estado do Rio de Janeiro e possui um potencial turístico a ser explorado.

Alguns pontos positivos podem ser colocados ao se visitar o espaço.   A vista é atraente, sem muito esforço é possível ver o centro, o bairro cidade nova, alguns pontos Rio Muriaé e um horizonte de encher os olhos.   Com algum esforço se pode ver os bairros Aeroporto, Caiçara, Vinhosa, Vale das Orquídeas, Frigorífico, Niterói e o Campo de Aviação.

Alguns pontos negativos, como a acessibilidade, podem ser colocados. Faltam placas indicativas do caminho, as vias são irregulares e com muitos obstáculos, o pátio no entorno do Cristo necessita de manutenção permanente, o que inclui poda das árvores, pintura, limpeza do pátio interno e entorno, grades e parapeitos, além do mal cheiro que pode ser sentido em vários pontos e uma lavagem na própria escultura.

Na questão segurança alguns cuidados pessoais devem ser tomados por ser um local que não possui câmeras ou agentes públicos permanentes.

Visitar o Cristo é a melhor forma de valorizar e cuidar deste símbolo.

Fonte: Imparcial Notícias / Blog Fatos e mídias Writing Studio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *