Blog do Adilson Ribeiro

Serra – ES – Terça-feira – 13:10 – Capixaba constrói ‘estacionamento’ para OVNIs em sítio

O iluminador artístico Mário Galleriani Junior elaborou, em um sítio, um campo de pouso para atrair objetos voadores não identificados. Ele afirma já ter visto os OVNIs quatro vezes

“E.T.! Telefone! Minha casa!”. Se você conhece essa frase, sabe que ela saiu de um grande clássico cinematográfico dos anos 1980 chamado “ET, o extraterrestre”. Até aí, tudo bem, mas imagine então ter uma experiência com seres de o Writing Studio Telefone! Minha casa!”. Se você conhece essa frase, sabe que ela saiu de um grande clássico cinematográfico dos anos 1980 chamado “ET, o extraterrestre”. Até aí, tudo bem, mas imagine então ter uma experiência com seres de outro mundo. Consegue pensar nessa hipótese? O iluminador artístico Mário Gallerani Junior não só consegue, como afirma já ter visto objetos voadores não identificados (OVNI’s).

Gallerani afirma que teve, até hoje, quatro experiências visuais, em que se deparou com esferas muito brilhantes no céu. O iluminador garante que, durante os flagrantes, sempre havia testemunhas oculares, amigos, colegas, para que ninguém duvidasse dos momentos. E, o mais interessante, é que ele acabou se aprofundando tanto no assunto a ponto de elaborar um campo para atrair esses visitantes.

O espaço, elaborado no sítio da família, em Manguinhos, na Serra, consiste em um círculo gramado, de aproximadamente 20 metros de diâmetro, com desenhos formados com pedras que, segundo Gallerani, tem o intuito de atrair OVNI’s. “Eu faço círculos parecidos com as esferas e triângulos, que se juntam. Faço com pedras para eles não sumirem na grama. E quando alguém me fala que não acredita, eu só pergunto: quantas vezes você olhou pro céu hoje?”, indaga.

O iluminador artístico filosofa sobre a crença que alimenta. “Em um universo tão grande não dá para acreditar que estamos sozinhos. Seria muito egoísmo”. Ele frisa que teve sorte por poder ter certeza, mas que só a teve convicção depois da primeira experiência, que aconteceu em 1984, em Ilhéus, na Bahia. Depois da primeira experiência, aconteceram mais três, sendo duas em Jardim Camburi e uma na Praia do Canto.

Mário Gallerani Junior se lembra da primeira vez que teve um contato extraterrestre. Ele estava com amigos de uma banda que tinha na década de 1980, e lembra-se dos detalhes. Era noite e eles estavam em Ilhéus, na Bahia.

“Tinham três músicos comigo. Não tem como achar que era avião, afinal, foi algo que veio do infinito. De repente, uma esfera foi se destacando das estrelas, em forma esférica e super definida. Chegou a virar dia e não tinha lua. Depois retrocedeu e, em segundos, sumiu”, relata Gallerani.

A história fica intrigante quando ele conta que, não só ele, mas também os amigos esqueceram-se do que aconteceu e, só depois de anos, em 2004, por conta de um programa de televisão, se lembrou do acontecido. Nessa época, ele já havia montado o campo no sítio.

As críticas, segundo ele, surgem sempre, e ele também não divulga o “campo de pouso”, como ele mesmo chama. O iluminador artístico recebe outras pessoas que acreditam no assunto para trocar ideias. A maior fonte de pesquisa são livros e programas de TV especializados.

Fonte: Gazeta online Writing Studio

3 comentários sobre “Serra – ES – Terça-feira – 13:10 – Capixaba constrói ‘estacionamento’ para OVNIs em sítio

  1. Mouraci Stephen Carecho

    QUEM NÃO É “O SENSATO”…é considerado “O esquisito”…

    Vivemos num mundo onde predomina a sensatez.Temos, portanto, de sermos sensatos.
    E o que vem a ser sensato? É a qualidade daquele que se mantém prudente e ponderado ao tratar de assuntos delicados e de certo grau de dificuldade.
    Entretanto, chegou o momento de deixarmos de ser sensatos e adotarmos uma postura mais atrevida diante das coisas que nos cercam.
    Com o advento do iluminismo, por volta do ano de 1.600, despontou o racionalismo cartesiano, fundado nos princípios filosóficos de René Descartes que, com a sua teoria da bifurcação, injetou na mente humana uma maneira simplificada de raciocinar, dando origem à uma nova cosmovisão que caracteriza o que chamam de a idade moderna. Essa tal lógica racional passou então a determinar como as pessoas deveriam pensar, isto é,simplificando aquilo que é complexo, reduzindo o mundo exterior unicamente ao campo material, deixando de lado todos os atributos qualitativos da matéria que passaram a ser consideradas meras coisas subjetivas. Em suma, o sujeito deveria se comportar de um modo sensato e não mais questionar.Basta crer.
    Dentro dessa nova perspectiva de encarar o mundo, foi então despejado, na tal sociedade moderna, um montão de histórias que permeiam os livros acadêmicos, literaturas sacras e doutrinas de toda ordem, com o intuito de mostrarem ao público, como era o antes e com fins de orientar como deveria ser o depois dos tempos.
    Ocorre que, quando se espreme o cartesianismo com a própria lógica cartesiana, os seus adeptos pulam fora do debate. Por exemplo: Qual a lógica de acreditar que o celular é produto de tecnologia recente, se na guerra de 1940 os governos já faziam uso da internet? Qual a lógica de se atribuir que a medicina é a causa da longevidade humana, se a biografia da grande maioria dos bacanas do passado mostra que passavam dos 80? Qual a lógica de se aceitar que o homem foi à Lua somente em 1969,se desde 1920 já existiam os meios, o desejo e a tecnologia para tal? Qual a lógica da história mosaica, se foram os faraós que elegeram o ouro como elemento símbolo para diferenciar pessoas e esses hábitos são cultuados até os dias atuais? Qual a lógica das histórias de ETs, se a tecnologia anti gravidade já é de domínio desde 1930? Qual a lógica de se supor que a ciência integral está compartilhada em todas as universidades pelo mundo, se a essência da corrida social é pela dominação?

  2. Manuelina

    Eu também vejo, de vez em quando, “OVONIS” em meio ao arroz e feijão, só que no meu prato.

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *