Blog do Adilson Ribeiro

Domingo – 19:00 – Cobertura da mídia sobre feminicídio é inapropriada, mostra relatório. Veja abaixo:

Clique na imagem e inscreva-se no Vestibular UNIG

No Brasil, a cobertura midiática de casos de feminicídio e violência sexual carece de aprimoramento. A avaliação é da jornalista Luciana Araújo e consta no relatório Imprensa e Direitos das Mulheres: Papel Social e Desafios da Cobertura sobre Feminicídio e Violência Sexual. Segundo a jornalista, na maioria das vezes em que os crimes são noticiados, os veículos de comunicação não humanizam as vítimas, tampouco colaboram para que a sociedade compreenda mais sobre as políticas públicas de enfrentamento à violência contra mulheres e sobre como o ciclo de violência pode ser rompido.

 

A publicação, do Instituto Patrícia Galvão, analisou matérias publicadas em 71 veículos de comunicação das cinco regiões do país. Ao todo foram 1.583 matérias sobre homicídios d Writing Studio s políticas públicas não asseguradas, seja por uma educação que não prevê a perspectiva de respeito aos direitos do outro, seja, efetivamente, por um caso em que o próprio agente do Estado foi o autor daquela morte.”

 

O relatório condena a exposição das vítimas, algo que considera grave e que tem sido prática de parte da imprensa. Ao todo, em 15% das matérias analisadas que continham imagens de vítimas, houve exibição de corpos sem qualquer tratamento de edição. Essa violação de direito ocorreu em maior número entre vítimas negras.

 

A versão integral da publicação pode ser acessada pela internet. A iniciativa teve apoio da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

 

Campos 24h

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *