Blog do Adilson Ribeiro

Segunda-Feira – 23:52 – Fluminense vence Ceará com show dos garotos de Xerém e segue na cola de vaga na fase de grupos da Libertadores. Veja Abaixo:

Nada de relaxar. Após confirmar presença na Libertadores, o Fluminense mostrou que não se contenta com o mata-mata preliminar do torneio e que vai atrás de uma vaga direta na fase de grupos. Com três gols das crias de Xerém, derrotou o Ceará por 3 a 1, fora de casa, e se manteve na cola do G4.

Os tricolores chegaram aos 60 pontos. Estão a dois de Atlético-MG e São Paulo, respectivamente terceiro e quarto colocados do Brasileiro. Para ir à fase de grupos, têm que terminar entre os quatro primeiros. Caso fiquem em quinto, como agora, precisam que o Palmeiras, campeão da Libertadores, também conquiste a Copa do Brasil. Para não depender disso, o time de Marcão vai tentar vencer os dois jogos que restam. O primeiro é contra o Santos, no domingo, na Vila Belmiro.

Não foi um primeiro momento dos mais animados para o torcedor. Diante de um adversário com um perfil mais construtivo, o Ceará apostou em deixar a bola com ele e esperar o momento certo para contra-atacar. Mas essa chance demorou a chegar. O que se viu foi um jogo que não saía do meio-campo, já que o Fluminense também não conseguia infiltrar.

Quando a oportunidade enfim apareceu os cearenses conseguiram ser perigosos. Aos 27, Saulo aproveitou a saída errada de Yago e avançou pelo corredor direito com liberdade. Ele tocou para Vina que, cara a cara com Marcos Felipe, acabou finalizando para fora.

Ali, o Fluminense parece ter entendido que a melhor forma de agredir o rival seria usar de sua própria arma. O time usou sua facilidade para desarmar no meio de campo e explorar a velocidade de Luiz Henrique e de John Kennedy.

A tática deu certo. Na primeira boa chegada, Jhon Kennedy furou na hora de finalizar. Mas não perdoou na segunda chance que teve. Aos 44, Nenê deu excelente passe para o atacante, que concluiu para o fundo das redes na saída do goleiro Richard.

– O atacante não pode se desesperar por um gol perdido. Tem que estar preparado para outra chance. Venho treinando, o Nenê me dá bastante orientação para infiltrar que a bola vai chegar – comentou o jovem de Xerém, que marcou seu segundo gol pelos profissionais.

No etapa final, com a necessidade do Ceará ser mais propositivo para buscar o empate, este desenho ficou ainda mais ressaltado. De tanto que esperou por uma chance, o Fluminense se viu espremido. Os donos da casa chegaram a ter 70% de posse.

Mas a chance veio, e os tricolores não perdoaram. Numa jogada iniciada em contra-ataque, Egídio trocou passes com Nenê na linha de fundo e recuou para Martinelli, que vinha livre de trás, ampliar com um chute forte aos 13 minutos.

Apesar de mais um gol sofrido, o Ceará não desanimou e insistiu. E diminuiu, aos 32, com Vina, de pênalti. Mas, àquela altura, os dois times estavam mais expostos. E os tricolores fizeram o gol que sacramentou a vitória aos 42, com Samuel escorando com a cabeça bola levantada por Egídio.

 

 

 

Fonte: Extra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *