Blog do Adilson Ribeiro

Segunda-Feira – 23:30 – Família acusa PM pela morte de adolescente de 14 anos na Zona Norte do Rio. Veja Abaixo:

Ray Pinto Faria teria sido levado da porta de casa e morto por PMs no Morro do Fubá, no Campinho, Zona Norte do Rio

Rio – A família de Ray Pinto Faria acusa a Polícia Militar pela morte do adolescente de 14 anos de idade, nesta segunda-feira, durante uma ação da corporação no Morro do Fubá, em Campinho, Zona Norte do Rio. Segundo os parentes, o menino estava no portão de casa quando foi abordado e levado por PMs.

Os familiares afirmam que passaram algumas horas sem saber do paradeiro de Ray, até receberem a informação de que o adolescente estava no Hospital Municipal Salgado Filho, onde foi encontrado morto por sua mãe.

Um primo de Ray reconheceu seu corpo, e contou que o adolescente tinha duas marcas de tiro: um na perna e outra na barriga.
Em resposta a demanda do DIA, a Polícia Militar confirmou que o 1º Comando de Policiamento de Área (CPA) e o Comando de Operações Especiais (COE) atuaram na Zona Norte da cidade do Rio, nesta segunda-feira (22). Segundo a PM, a operação tinha por objetivo “coibir movimentações de grupos criminosos na região”.
Segundo a nota da PM, houve confronto entre PMs e criminosos armados nas comunidades do Urubu e do Fubá. Na comunidade do Urubu, foram localizados dois feridos; no Fubá, houve um ferido. As três pessoas foram encaminhadas ao Hospital Municipal Salgado Filho e morreram.
A PM não informou se Ray Pinto Faria está entre os óbitos decorrentes da operação desta segunda-feira. Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que Ray Pinto Faria chegou morto e sem identificação à unidade hospitalar. A família já reconheceu o corpo do rapaz.
Procuradas pelo DIA, a Polícia Civil não respondeu sobre o caso. Ainda não há informações sobre a data e local de sepultamento do jovem.
Fonte: O Dia

Um comentário sobre “Segunda-Feira – 23:30 – Família acusa PM pela morte de adolescente de 14 anos na Zona Norte do Rio. Veja Abaixo:

  1. Richardson

    Se acusar a polícia, corre o risco de receber um din din do Estado. O que eu nunca vi nessas comunidades é alguém acusar o traficante pela morte de alguém. E olha que o cerol come fino em quem deve a boca…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *