Blog do Adilson Ribeiro

Segunda Feira – 21:50 – Os Segredos Da Vida De Quem Trabalha Em Um Cruzeiro! Clique na foto abaixo e veja mais

Quer viajar pelo mundo sem ter que pagar por moradia ou comida? Claro que quer! É por isso que a ideia de ser um trabalhador de navio de cruzeiro é tão atraente. O outro lado da moeda, é que há um lado dos navios de cruzeiro que os passageiros não veem. Enquanto relaxam à beira da piscina ou chutam o balde no rodízio de pizza, há sempre alguém que atende a todas as suas necessidades. Afinal, aqueles bichinhos de toalha não aparecem na sua cama do nada!

Um navio de cruzeiro é basicamente um hotel flutuante, e trabalhar na indústria de serviços e hospitalidade nunca é fácil. Antes de decidir se candidatar a uma vaga de trabalho e navegar, leia alguns segredos que vieram de antigos tripulantes de cruzeiros!

Sorria! Você está sendo filmado!

Gavin, um garçom que trabalhava para uma grande linha de cruzeiros, disse ao Mental Floss que esse Big Brother é super-real. Em outras palavras: existem câmeras literalmente em todo lugar. Isso é principalmente por segurança, já que você está literalmente em um barco gigante no meio do oceano. Muito embora um novo Titanic seja improvável, os membros da tripulação podem ter que revisar as imagens de segurança em caso de emergência. “É certo assumir que, se você estiver fora da sua cabine, provavelmente você estará na câmera”, disse Gavin. “No caso de qualquer tipo de emergência, a segurança pode rever as imagens de segurança a qualquer momento”.

Alguns tripulantes têm dupla vida

Quando você está ausente de casa pela maior parte do ano e isolado do resto do mundo, é mais fácil esconder alguns segredos. É por isso que muitos trabalhadores de cruzeiros levam vidas duplas quando estão no navio. Não é incomum que algumas pessoas tenham companheiros esperando em casa e um relacionamento totalmente diferente assim que o navio zarpa. Aparentemente, os votos de casamento podem não valer em águas internacionais. Também houve relatos de homens são machões em terra, mas que no navio são gays. Ficar isolado do mundo lhe dá a chance de ser quem você quer ser, não quem você acha que tem que ser em terra.

Desconectado do mundo

Esqueça essa coisa de manter-se em dia com séries tipo Game of Thrones ou seus programas de TV favoritos. Se você trabalhar em um navio de cruzeiro, terá sorte se conseguir acompanhar as notícias em geral. Por mais que você sofra por não conseguir ver seu time arrasando no próximo Brasileirão, às vezes é impossível sintonizar. As conexões de Internet em alto mar são absurdamente caras e pouco confiáveis. Muitas vezes, você tem que se atualizar quando atraca, deixando dias entre quando você recebe e-mails e as respostas. Por esse motivo, muitos tripulantes de cruzeiros tendem a deixar de seguir notícias, esportes e cultura pop.

Os membros da tripulação falam em código

Os membros da tripulação não querem alarmar os passageiros. Eles estão de férias e não precisam saber sobre cada emergência, especialmente se não tiverem nada a ver com eles. Que tipo de pânico surgiria se todos os passageiros soubessem de repente que havia um pequeno incêndio no navio? Seria agitado! Por causa disso, os tripulantes usam certos códigos possíveis de anunciar em alto-falante sem alarmar os passageiros. Por exemplo: “Code Adam” significa que uma criança está desaparecida, “Code Alpha” significa que há uma emergência médica, “Code Oscar” significa que alguém caiu no mar e “Code Bravo” significa que há um incêndio no navio. Na foto acima, há um caso de um “Code Bravo”, quando o navio de cruzeiro Star Princess pegou fogo no meio da noite em 2006. Acredita-se que o incêndio tenha sido iniciado por um cigarro descartado.

Sempre há leis a seguir

Essa pode parecer óbvia para a maioria das pessoas, mas algumas não entendem. Só porque você não está em terra firme não significa que não há leis para seguir. É quando algo chamado “lei marítima” entra em jogo. Infelizmente Isabelle Lagacé e Melina Roberge (acima), cidadãs canadenses em um cruzeiro para a Austrália, aparentemente não receberam essa dica quando tentaram contrabandear 200 quilos de cocaína no valor de aproximadamente US$ 23 milhões para vender por lá. As duas estão prontas para o julgamento, podendo pegar até 20 anos de prisão.

As festas são melhores que as dos hóspedes

Trabalhe duro, divirta-se mais ainda! Esse lema vale para os tripulantes de navios de cruzeiro. Quando os trabalhadores não estão trabalhando, provavelmente estão bebendo e festejando. Na verdade, a tripulação tem um bar especial “somente para tripulação” com bebidas insanamente baratas. Por exemplo, muitos cruzeiros cobram cerca de US$ 15 por bebida para os hóspedes, mas no bar da equipe, você pode conseguir por menos de US$ 1,50. A equipe definitivamente faz “a festa”, mas eles precisam ser cuidadosos. Às vezes, embora isso nem sempre seja aplicado, os comandantes submetem os funcionários a testes de bafômetro e drogas. Um ex-operador de navio de cruzeiro que falou com a Trend-Chaser nos informou como são as regras. “A tripulação não deve ficar bêbada nunca”, disse ele. “Todos dizem que não se pode ficar bêbado, mas depois você bebe com uma pessoa do RH e ela toma uns quatro ou cinco drinques na sua frente.” Aparentemente, as pessoas bebem no trabalho o tempo todo e apenas monitoram o radar. Contanto que você não esteja fazendo um show, provavelmente está apto para o trabalho.

Você não pode se relacionar com os convidados

Se você está procurando por aventuras enquanto está no mar, desvie o olhar de quem estiver de férias. É estritamente proibido aos funcionários do cruzeiro ficar com os convidados, e é uma das maneiras mais fáceis de perder seu trabalho. Na verdade, de acordo com um operador de cruzeiros anônimo que falou com a Trend-Chaser, a tripulação é na verdade desencorajada de interagir com os convidados individualmente. Isso ajuda a proteger a operadora de cruzeiro de qualquer tipo de acusação que possa prejudicar sua reputação. Se você for pego violando as regras, será expulso no próximo porto.

Mas a “pegação” acontece…

 

Só porque os membros da equipe não podem ficar com os passageiros, não significa que eles sejam celibatários. Na verdade, é bem ao contrário. Os membros da tripulação frequentemente acabam ficando um com o outro. Pense nisso: você está cercado pelas mesmas pessoas por quase um ano de cada vez, isolado num navio. Você está em locais românticos e exóticos com litros de álcool na mão. De acordo com um operador de cruzeiros anônimo que falou com a Trend-Chaser, isso acontece e muito. “As pessoas ficam o tempo todo. Há um monte de festas da tripulação”, disse ele. Essas relações são tão comuns que as áreas comuns da tripulação costumam ter cartazes sobre prevenção de DST.

Membros da tripulação pregam peças em passageiros

Pode ficar muito chato depois de um tempo no mar. Para quebrar a monotonia, os membros do cruzeiro fazem brincadeiras com os passageiros. As brincadeiras são bem bobinhas, já que mexer demais com os passageiros é uma ótima maneira de ser demitido. De acordo com um operador de cruzeiros anônimo que falou com o Mental Floss que uma favorita era, numa área de passageiros, dizer a outro membro da equipe, alto o suficiente para ser ouvido por todos, “encontre-me no boliche hoje à noite!” Na verdade, não havia uma pista de boliche a bordo. Então, esperávamos cartões de comentários contendo:” Por que a equipe tem uma pista de boliche e os hóspedes não? ” Hilário!

Membros da tripulação são gangsters

Um navio de cruzeiro pode ser bastante semelhante a uma escola. Nem todo mundo fica em um único grande grupo e cada navio tende a ter grupos diferentes. Muitas vezes, têm a ver com países de origem, uma vez que os navios de cruzeiro costumam ter uma gama diversificada de trabalhadores de todo o mundo. Os tripulantes chamam seus grupos de “máfias” e cada um é conhecido por uma especialidade. Por exemplo, um ex-operador de navio de cruzeiro disse ao Mental Floss que a máfia filipina em seu navio era conhecida por ter bebidas depois do expediente (os bares da equipe fecham em torno de uma ou duas da manhã). Claro, eles venderiam para você com um grande lucro!

Emergências podem ser bastante sinistras

Todo mundo já ouviu falar da lenda urbana de um navio de cruzeiro servindo camarões estragados e todo o navio ficou com uma intoxicação alimentar tão grave que os banheiros quase não deram conta. Este é um evento extremamente raro, mas pode acontecer. Na verdade, isso aconteceu mesmo! Em 2013, um navio de cruzeiro da Carnival ficou sem energia após um incêndio na sala de máquinas. Passageiros ficaram presos no Golfo do México por tempo suficiente para o esgoto explodir. Esgoto bruto começou a borbulhar por todo o barco, e cheirava tão mal que as pessoas criaram uma cidade de tendas longe de áreas de cheiro forte.

Nem todas as cabines são iguais

Você não terá sua própria cabine de luxo se for membro da tripulação, mas o seu cargo afeta as acomodações que você recebe. Funcionários e oficiais têm salas privadas no convés A, logo acima da água (olá, luz solar!), mas de acordo com Anthony Andrieux, que trabalhou a bordo da Royal Caribbean Line, a situação não era tão boa para a maioria dos trabalhadores. “A situação de vida era ‘apertada’. Você fica no convés inferior e está sempre debaixo d’água. Não há janelas no quarto, tem uma cama de beliche muito pequena onde você literalmente não cabe (confie em mim eu tentei). Você pode até tocar as quatro paredes se ficar no centro da sala para ter uma idéia. Eu acredito que é um total de cerca de 10 metros quadrados”.

A tripulação é treinada para lidar com ataques piratas

Muitas vezes não pensamos que piratas existam no ano de 2018, mas eles ainda estão aí. É incrivelmente raro um pirata enfrentar um gigantesco navio de cruzeiro (sério, você tem a força do tamanho), mas no caso de acontecer, os trabalhadores são treinados para revidar. Cruzeiros como Princess Cruises e Oceania Cruises treinam sua tripulação para levar os hóspedes para longe das janelas e borrifam os ofensores com gigantescos canhões de água, e porque os navios de cruzeiro são tão grandes, a quantidade de água utilizada pode deter um pequeno navio pirata. Alguns navios podem até impedir ataques com dispositivos acústicos de longo alcance que emitem ruídos altos e dolorosos. Na verdade, em 2005, um cruzeiro de luxo usou um dispositivo acústico de longo alcance para escapar de um ataque pirata na costa da África.

A linha de cruzeiros é basicamente sua “dona”

O ex-operador de cruzeiros Brian David Bruns escreveu um livro em 2015, intitulado Cruise Confidential. Depois de se tornar o primeiro americano que trabalhava para a Carnival Cruise Line a não desistir antes de seu contrato expirar, Brian detalhou como a pior parte de sua experiência, a sensação de ser tipo uma propriedade da linha de cruzeiro, dizendo: “A pior parte do trabalho é ser ‘propriedade’ da corporação… Eles controlam o que você come, quando você come, quando você pode ir usar o banheiro, temperatura da sua cabine, tudo”. Caramba!

A tripulação come sobras

Os membros da tripulação são os elos mais baixos na cadeia alimentar, o que significa que comem os restos. É como comida na cantina da escola, mas às vezes pior. A equipe da cozinha é criativa, não tem muito com o que trabalhar, mas não servem necessariamente algo que você gostaria de comer o tempo todo. Imagine ter que comer pratos estranhos como ensopado de pé de cabra! Alguns afortunados membros do cruzeiro podem comer restos do que sobrou de um buffet dos passageiros, mas como é tão bom provavelmente não dura muito tempo.

Membros da equipe recebem pedidos estranhos

A indústria de serviços e hospitalidade é um baú cheio de histórias estranhas. Você nunca sabe o que vai ouvir, então você tem que estar pronto para qualquer coisa. Os funcionários dos navios de cruzeiro estão bastante acostumados a receber pedidos bizarros dos hóspedes quando estão no mar. De acordo com o USA Today, um tripulante de navio de cruzeiro recebe repetidamente solicitações estranhas de jovens casais no navio. Nesse ponto, é mais comum do que surpreendente. “Alguns pombinhos perguntam: ‘Você poderia fazer alguns animais de toalha do tipo para adultos?‘ Eles querem animais safados!”, disse ela. “Eu disse: ‘Desculpe, não posso lhe dar isso’”.

Gorjetas incríveis

Assim como um bartender, a maior parte do dinheiro de um trabalhador de navio de cruzeiro vem de gorjetas. Se você não é alguém com personalidade extrovertida, pode ser difícil consegui-las, mas não se preocupe. A maioria das linhas de cruzeiro tem uma gratificação obrigatória que é dividida entre todos os funcionários e o pagamento é realmente muito bom. Muitos trabalhadores enviam dinheiro para suas famílias e ainda economizam muito dinheiro. Quase não há despesas a bordo do navio, portanto, viver a baixo custo é bastante fácil.

Sem folga

Se você é do tipo que aprecia seus finais de semana, evite trabalhar em um navio de cruzeiro a todo custo. A maioria dos trabalhadores de navios de cruzeiro não tem um único dia de folga. Normalmente, eles são contratados por nove meses por vez e trabalham direto. Não é totalmente terrível, mas a tripulação trabalha todos os dias, ainda que de forma rotativa. Quando o contrato termina, eles têm ótimas férias de dois meses. Pense em todas as coisas que você faria se tivesse dois meses de folga.

Compartilhando um dormitório como cabine

Dependendo do cruzeiro, alguns membros da tripulação são forçados a ficar em quartos super pequenos, enquanto outros têm acomodações mais espaçosas. Mas quem consegue um espaço maior também consegue mais colegas de quarto. Às vezes, os navios de cruzeiro proporcionam à sua tripulação acomodações “tipo albergue”, onde 11 pessoas ficarão juntas em um quarto. Embora alguns ex-tripulantes tenham dito que se acostumam com esse aperto muito rápido, outros dizem que é um pequeno preço a pagar por um emprego onde você viaja e se diverte a maior parte do tempo. Achamos que pode parecer melhor pegar carona com a experiência!

Costa Concordia: o pior pesadelo da tripulação

Em 2012, o pior medo da tripulação e dos passageiros aconteceu com o navio Costa Concordia. O navio virou e afundou depois de bater em uma rocha ao largo da costa da Toscana, na Itália. Trinta e três pessoas morreram, sendo a maioria passageiros e um membro da tripulação. Outras 64 pessoas ficaram feridas no subsequente caos a bordo. O capitão e a tripulação cometeram em uma série de erros, incluindo a falta de um treinamento de evacuação em caso de emergência, como é costume a bordo de todos os navios de cruzeiro. Mais tarde foi revelado que o capitão, Francesco Schettino, tinha se envolvido em conduta imprópria de um capitão. Ele também afirmou ter escorregado e “caído” em um barco salva-vidas quando o navio virou.

 

Desafio Mundia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *